Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Martine Aubry contra "políticas liberais" de Hollande

A autarca de Lille e antiga ministra do Emprego juntou-se às vozes que no seio do PS francês têm criticado as políticas seguidas pelo presidente Hollande que fica, assim, cada vez mais isolado. Aubry defende uma "nova social-democracia".

Reuters
David Santiago dsantiago@negocios.pt 20 de Outubro de 2014 às 13:43
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

A autarca de Lille e ex-ministra do Emprego e da Solidariedade, que também é filha do antigo presidente da Comissão Europeia, Jacques Delors, Martine Aubry, exigiu ao presidente francês e líder do Partido Socialista francês, François Hollande, uma "reorientação da política económica".

 

Aubry que foi a responsável pela introdução da semana de 35 horas de trabalho em França vê agora, com as crescentes dificuldades de Paris para garantir um crescimento sustentado e para controlar as finanças públicas, a possibilidade de revogação desta lei.

 

Numa entrevista ao Le Journal Du Dimanche, citada pelo El Mundo, a socialista francesa pediu a Hollande uma mudança de rumo e o fim das "políticas liberais" que têm impedido o crescimento económico do país.

 

Depois de ter perdido as primárias socialistas em 2011, a autarca de Lille tem apostado numa postura mais reservada, algo que foi agora invertido, juntando assim a sua voz aos conhecidos elementos do PS francês que têm colocado em causa as opções governativas de Hollande e do seu primeiro-ministro Manuel Valls.

 

Estas divergências fizeram-se mesmo sentir no interior do Governo, o que levou à demissão, em Agosto, do até então ministro da Economia Arnaud Montebourg, um crítico de Valls e de Hollande e defensor de uma mudança clara nas orientações ideológicas do Governo.

 

Apostada em dar seguimento a esta orientação, Martine Aubry defende um conjunto de medidas que representem uma "nova social-democracia", em que haja menor discrepância entre os apoios estatais às famílias e às empresas. A autarca socialista considera que o Executivo de Valls tem privilegiado em demasia o apoio às famílias, descurando as famílias francesas.

 

Critica ainda a proposta de Emmanuel Macron, ministro da Economia, que será formalmente apresentada em Dezembro, no âmbito de um conjunto de reformas, e que prevê uma nova regulação do trabalho aos domingos, com o objetivo de estimular o crescimento. Esta segunda-feira, Macron estará em Berlim para tentar colher o apoio alemão às reformas francesas, pedindo em troca a Berlim o aumento do investimento público de forma a apoiar o crescimento europeu.

 

Isto numa altura em que a economia gaulesa dá sinais de estagnação e em que Paris solicitou a Bruxelas, pela segunda vez, um adiamento, para 2017, do cumprimento das regras do défice previstas no Tratado Orçamental.

Ver comentários
Saber mais Martine Aubry François Hollande França Manuel Valls Emmanuel Macron
Mais lidas
Outras Notícias