Já arrancou o primeiro Jackson Hole de Jerome Powell na liderança da Fed  

O simpósio que reúne banqueiros e economistas já arrancou. E conta com uma estreia: Jerome Powell fará o primeiro discurso em Jackson Hole enquanto presidente da Fed. Os investidores vão procurar pistas sobre o rumo da política monetária, mas não são esperadas muitas novidades.
Reuters
pub
Rita Atalaia 23 de agosto de 2018 às 16:27

Banqueiros centrais e economistas estão, a partir desta quinta-feira, 23 de Agosto, e até sábado reunidos num resort no meio das montanhas. Mas não para um momento de pausa. É em Jackson Hole, nos EUA, que se juntam anualmente para discutirem o futuro da economia e da política, sendo o evento deste ano marcado pela estreia de Jerome Powell enquanto presidente do banco central norte-americano.

"Mudar a estrutura do mercado e as implicações para a política monetária." É este o tema do simpósio que é organizado pela Reserva Federal de Kansas City. Ou seja, os desafios para a economia que surgem através da concentração de empresas e consequente diminuição da concorrência, assim como a quebra no crescimento dos salários.

Contudo, será o rumo da política monetária que estará em foco. Os investidores vão analisar os discursos, palavra a palavra, para tentarem perceber qual é a estratégia da Reserva Federal (Fed) dos EUA. Sobretudo depois de a divulgação das minutas da última reunião do banco central ter aumentado as expectativas de que os juros dos EUA vão subir mais duas vezes este ano – e a próxima subida deve acontecer já em Setembro.

"Os investidores vão estar mais focados no longo prazo e não tanto nos próximos trimestres – o caminho é agora muito claro", afirmou Richard Turnill, responsável pela estratégia da BlackRock, à Bloomberg.

Novas pistas? Investidores esperam discurso "morno"

pub

Este horizonte mais longínquo para as taxas de juro nos EUA poderá surgir nas entrelinhas do discurso de Jerome Powell. Na sua estreia no simpósio enquanto presidente da Fed, esta sexta-feira, falará perante banqueiros -- incluindo o governador do Banco do Canadá, Stephen Poloz -- e economistas sobre "A política monetária numa economia em mudança".

Apesar de ser um tema relativamente vago e que pode cobrir vários tópicos, os investidores deverão estar mais atentos a quaisquer comentários sobre crescimento económico, inflação e emprego. E como é que Powell vê a recente agitação nos mercados emergentes, sobretudo na Turquia e Argentina, e de que maneira poderá afectar os planos de subida de juros da Fed.

Além disso, o presidente do banco central norte-americano discursará numa altura em que as suas decisões têm sido criticadas por Donald Trump, nomeadamente a subida das taxas. Foi em Julho que o presidente dos Estados Unidos afirmou "não estar entusiasmado" com a política de aumento gradual dos juros seguida pela Fed, temendo que penalize a recuperação da maior economia do mundo.

De qualquer maneira, e apesar das recentes crises e polémicas, não se esperam grandes novidades neste evento. De acordo com Roberto Perli, antigo economista da Fed, o "simpósio deverá gerar ideias interessantes entre os académicos e banqueiros, mas não deve resultar em qualquer alterações da trajectória da política monetária que o mercado já incorporou".

pub