Augusto Santos Silva muito preocupado com cancelamento de cimeira Trump-Kim

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, manifestou preocupação pelo cancelamento da cimeira de 12 de Junho entre os presidentes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte, Donald Trump e Kim-Jong-un, respectivamente.
Lusa
pub
Lusa 24 de maio de 2018 às 19:18

"É uma notícia que nos deixa muito preocupados. Estávamos com expectativas muito grandes nesta cimeira. Depois das conversações entre Estados Unidos e Coreia do Norte, a cimeira era o passo lógico. O facto de não se realizar entristece e preocupa", afirmou o "número dois" do Governo, após a apresentação do programa das comemorações do 10 de Junho nos Estados Unidos.

Numa reacção à comunicação de hoje de Donald Trump, Augusto Santos Silva referiu que o cancelamento pode ser "um acidente de percurso" e aludiu à importância da cimeira, para "a estabilização da península coreana e a sua desnuclearização".

O ministro vincou que "é evidente que o empenhamento dos Estados Unidos e da Coreia do Norte" é importante para que o "processo de diálogo possa prosseguir".

Augusto Santos Silva acrescentou que "o facto de a cimeira ter sido cancelada é negativo", mas observou que, "às vezes, estes processos não são lineares e dão-se passos atrás".

O Presidente norte-americano cancelou a cimeira com o seu homólogo norte-coreano, Kim Jong-un, prevista para 12 de Junho em Singapura, invocando uma "raiva tremenda e hostilidade aberta" da Coreia do Norte.

pub

Numa carta dirigida a Kim Jong-un, Trump anuncia que o encontro não terá lugar. "Eu estava muito ansioso por me encontrar lá consigo. Infelizmente, tendo em conta a raiva tremenda e hostilidade aberta demonstrada na sua declaração mais recente, eu considero ser inapropriado, neste momento, realizar este encontro, há muito planeado", refere-se na missiva do Presidente dos Estados Unidos.

pub