Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PS volta a subir e PSD continua em queda

A última sondagem da Aximage confirma duas tendências verificadas nos últimos meses: os socialistas continuam a crescer nas intenções de voto, enquanto social-democratas prosseguem ciclo de perdas. Já o BE cresce perto de um ponto percentual e consolida a terceira posição.

Miguel Baltazar
David Santiago dsantiago@negocios.pt 13 de Janeiro de 2017 às 17:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • 61
  • ...

O PS continua a ganhar terreno para o PSD, dispondo de uma vantagem que se situa agora nos 16 pontos percentuais. A sondagem da Aximage para o Negócios e o Correio da Manhã mostra que, em Janeiro, as intenções de voto nos socialistas cresceram 1,6 pontos percentuais face ao mês anterior para um total de 41,7%.

 

Em sentido inverso, o PSD regista a maior queda entre os principais partidos do especto político nacional, com os social-democratas a recuarem 2,3 pontos percentuais para 25,1% das intenções de voto. Trata-se mesmo da maior queda do partido liderado por Passos Coelho desde a quebra de 2,6 pontos registada entre Março e Abril do ano passado.

 

Pelo seu lado, o Bloco de Esquerda recupera alguma da margem perdida com um crescimento de quase um ponto para 9,1%, o que permite aos bloquistas consolidarem-se como a terceira força política.

 

Já a CDU (coligação entre PCP e Verdes) perde terreno para o Bloco e vê o CDS aproximar-se. A coligação liderada por Jerónimo de Sousa cede meio ponto para os 6,9%, com os centristas a crescerem ligeiramente para os 6,8%. O estudo da Aximage aponta ainda para uma diminuição da abstenção, que cai dos 35,7% registados em Dezembro para 33,5% no presente mês.

 

Apesar da ligeira subida dos centristas, esta sondagem reforça também a vantagem do PS para os dois partidos da direita que governaram coligados. Se em Dezembro PSD e CDS somavam 34,1% face aos 40,1% então registados pelo PS (uma diferença de seis pontos), em Janeiro a distância entre uma eventual reedição da coligação (31,9%) de direita e os socialistas (41,7%) aumentou para os 9,8 pontos percentuais.

 

Este estudo revela ainda que as expectativas em relação ao actual Governo chefiado por António Costa aumentaram pelo terceiro mês consecutivo, com 41,2% dos inquiridos pela Aximage a considerar que a governação deste Executivo é "melhor do que esperava" e 46,3% a considerarem ser "igual ao que esperava". Apenas 11% dos entrevistados consideram que o desempenho do Governo é "pior do que esperava".

 

Costa é o líder com melhor nota e Centeno considerado o melhor ministro

 

O estudo da Aximage revela ainda que António Costa, secretário-geral do PS, é o líder político que recolhe melhor nota por parte dos inquiridos. O também primeiro-ministro obtém uma avaliação de 15 (escala de 0 a 20). Os outros líderes partidários à esquerda também conseguem nota positiva, enquanto os dois presidentes dos partidos mais à direita têm negativa.

 

Catarina Martins, coordenadora do BE, recebe um 12,2 e Jerónimo de Sousa, secretário-geral comunista, consegue um 10,9. Já a líder do CDS, Assunção Cristas, obtém uma nota de 9,3 enquanto Passos Coelho não vai além de um 5,3.

 

Numa disputa a dois entre António Costa e Passos Coelho, o líder do PS volta a ganhar vantagem sobre o presidente do PSD como aquele que recolhe maior confiança para desempenhar o cargo de primeiro-ministro. 64,3% dos entrevistados têm mais confiança em Costa e 23,7% depositam maior confiança em Passos.

 

Registo ainda para Mário Centeno, uma vez que o ministro das Finanças é não só o governante – exceptuando o primeiro-ministro – com maior notoriedade como é também considerado pelos inquiridos pela Aximage como o melhor ministro. Centeno parece assim passar incólume ao longo e mediático processo em torno da administração da Caixa Geral de Depósitos. O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, é considerado o pior ministro.

 

Marcelo é quase unanimemente avaliado de forma positiva

 

O desempenho do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, nos últimos 30 dias é avaliado positivamente por praticamente todos os entrevistados pela Aximage. 92,9% consideram que Marcelo tem actuado "bem", 3% dizem que o desempenho tem sido "assim-assim" e também 3% consideram que tem actuado "mal". 

FICHA TÉCNICA

Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.
Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 603 entrevistas efectivas: 287 a homens e 316 a mulheres; 61 no Interior Norte Centro, 79 no Litoral Norte, 106 na Área Metropolitana do Porto, 112 no Litoral Centro, 167 na Área Metropolitana de Lisboa e 78 no Sul e Ilhas; 95 em aldeias, 166 em vilas e 342 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.
Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 6 a 9 de Janeiro de 2017, com uma taxa de resposta de 79,4%.
Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 603 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,00%).
Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

 

Ver comentários
Saber mais Aximage PS PSD Passos Coelho CDU CDS Bloco de Esquerda Jerónimo de Sousa António Costa Catarina Martins Assunção Cristas Mário Centeno Marcelo Rebelo de Sousa
Mais lidas
Outras Notícias