Automóvel Nissan afasta Ghosn da presidência

Nissan afasta Ghosn da presidência

O conselho de administração da Nissan decidiu afastar Carlos Ghosn de "chairman" da fabricante nipónica, de acordo com a imprensa local. A decisão foi unânime.
Nissan afasta Ghosn da presidência
Bloomberg
Sara Antunes 22 de novembro de 2018 às 12:09
O conselho de administração da Nissan esteve reunido esta quinta-feira, 22 de Novembro, para decidir sobre o futuro de Carlos Ghosn, depois de o gestor ter sido detido por suspeitas de fraude fiscal. 

Os responsáveis decidiram afastar o responsável, de forma unânime, de acordo com a informação divulgada pela Nissan e citada pela Reuters.


Após esta decisão, Ghosn vai permanecer administrador da Nissan, uma vez que será preciso que os accionistas votem para o afastar de vez do conselho de administração.

Os administradores também votaram a favor do afastamento de Greg Kelly, responsável que também está detido no âmbito do mesmo processo.


Carlos Ghosn foi detido na segunda-feira por suspeitas de fraude fiscal. O gestor  é suspeito de ter "escondido" cinco mil milhões de ienes (39 milhões de euros). Nos últimos anos enquanto CEO da Nissan – 2015 e 2016 – Ghosn auferiu mais de 1.000 milhões de ienes. 

Esta quinta-feira, os procuradores de Tóquio decidiram dar mais detalhes sobre a possível pena que Ghosn enfrenta, caso seja condenado. O responsável poderá ser condenado a uma pena de prisão de até 10 anos.

Ghosn acumulava com o cargo de "chairman" na Nissan a presidência executiva na Renault, tendo entretanto sido afastado, depois de o ministro da Economia francês - um dos accionistas da fabricante francesa - ter pressionado a que se actuasse. 

A solução encontrada foi a nomeação interina de Thierry Bolloré, actual director de operações, para CEO e de Philippe Lagayette, antigo chefe de gabinete de Jacques Delors e administrador na Renault, para presidente não executivo.


(Notícia actualizada às 12:20 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI