Banca & Finanças Lesados do BES devem recuperar mais de metade do investimento

Lesados do BES devem recuperar mais de metade do investimento

Solução para os lesados do BES deve ser anunciada na sexta-feira pelo primeiro-ministro.
Lesados do BES devem recuperar mais de metade do investimento
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 12 de dezembro de 2016 às 21:05

António Costa deverá anunciar na sexta-feira, 16 de Dezembro, o acordo final para que os cerca de dois mil lesados do BES recuperem parte do investimento que efectuaram em papel comercial de empresas do Grupo Espírito Santo.

 

A notícia está a ser avançada por diversos meios de comunicação social, que dão conta que a solução final encontrada permitirá aos lesados a recuperação de mais de metade do capital.

  

Segundo o Observador, quem investiu até 500 mil euros receberá 75% do capital investido, até um valor máximo de 250 mil euros. Quem aplicou mais de 500 mil euros receberá metade do capital, sendo que neste caso não há limite mínimo.

 

De acordo com o Público, em causa estão cerca de dois mil clientes que reclamam perto de 500 milhões de euros, sendo que, ao contrário do que chegou a estar em cima da mesa, os investidores com montantes mais elevados também vão recuperar parte das poupanças.

 

Também a RTP dá como certo que o acordo está fechado e que inclui todos os lesados do papel comercial, sendo que o valor será pago em três prestações anuais.

 

O Observador acrescenta que os valores serão pagos durante dois anos, entre 2017 e 2019, sendo que a primeira tranche representará cerca de 30% do total que cada cliente terá direito a receber e deverá ser pago entre Março e Julho de 2017.

 

As bases da solução que estava a ser estudada e a ser intermediada por Diogo Lacerda Machado em nome do Governo apontavam para que os "lesados" que investiram até 300 mil euros poderiam receber 75% do investimento. Acima daquele valor, a recuperação máxima seria de 250 mil euros. Por exemplo, um investidor que tenha subscrito 1 milhão de euros, ao subscrever a solução, perderia 75% do valor.

 

Os lesados com maiores aplicações queriam "tratamento igual" e pressionaram o Governo nesse sentido, o que de acordo com as noticias desta segunda-feira deu resultado. "Todos deviam receber 75% [do valor]. Fomos todos lesados da mesma forma", defendeu em Outubro Mário Lopes, que lidera o grupo de investidores que pertencem à AIEPC.

Recuperação pode ser total

"Posso dizer que a solução prevê a criação de um fundo, um veículo que vai agregar todos os direitos jurídicos das pessoas, e que vai nos próximos anos vai tentar recuperar todo o dinheiro dos lesados nos tribunais. Esse fundo vai adiantar desde já uma parte do valor a todos os grupos de investidores não qualificados de papel comercial", disse à Lusa, Nuno Viera que representa a maior parte dos lesados do papel comercial do BES.

 

De acordo com Nuno Vieira, o acordo vai permitir a recuperação, a breve prazo, de 75%  do investimento. "Uma pessoa que tem 100 mil euros perdidos vai recuperar 75% a curto prazo, ficando os restantes 25% à responsabilidade do fundo para recuperação judicial", frisou o advogado.

 
(notícia actualizada às 10:15 commais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI