Banca & Finanças Febase quer salvar maior número possível de postos de trabalho no Novo Banco

Febase quer salvar maior número possível de postos de trabalho no Novo Banco

O Novo Banco confirmou esta quinta-feira que a reestruturação implica a saída de até 500 funcionários em 2016. A Federação do Sector Bancário já reagiu e quer tentar salvar maior número possível de postos de trabalho.
Febase quer salvar maior número possível de postos de trabalho no Novo Banco
Reuters
Liliana Borges 25 de fevereiro de 2016 às 23:17

A administração do Novo Banco anunciou esta quinta-feira, 25 de Fevereiro, que irá proceder a uma redução de cerca de até 500 funcionários em 2016. A decisão integra a necessidade de reestruturação da entidade acordado entre a gestão do Novo Banco e Direcção-Geral de Concorrência Europeia, que previa a redução de mil funcionários.
 
A Federação do Sector Bancário (Febase) já reagiu em comunicado e garante que vai tentar "salvaguardar o maior número possível de postos de trabalho no Novo Banco e defender os seus trabalhadores." Os sindicatos adiantam ainda que foram feitas "propostas no sentido de minimizar os efeitos negativos do processo para os trabalhadores, ficando a aguardar o agendamento de nova reunião para debatê-las".

No comunicado da Febase, filiada na União Geral dos Trabalhadores, pode ler-se que o Novo Banco já começou a negociar a saída de alguns funcionários por acordo, através de rescisões e reformas antecipadas, "prevendo a redução total de cerca de mil postos de trabalho – sendo que uma parte significativa deste objetivo já foi alcançado".

A nota termina com o reforço da disponibilidade dos sindicatos e os respetivos serviços jurídicos para prestarem esclarecimentos aos trabalhadores.

O Novo Banco tinha anunciado esta quarta-feira prejuízos no valor de 980,6 milhões de euros em 2015.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI