Comércio Dona da Conforama reclama 53 milhões ao ex-CEO

Dona da Conforama reclama 53 milhões ao ex-CEO

A Steinhoff International, dona da Conforama, avançou com um processo contra o ex-CEO e o antigo CFO, reclamando quase 70 milhões de euros por alegado "enriquecimento injustificado".
Dona da Conforama reclama 53 milhões ao ex-CEO
Reuters
Sara Antunes 26 de junho de 2019 às 13:20

A Steinhoff International, retalhista sul-afriana que é dona da marca Conforama, interpôs um processo contra os antigos gestores da empresa, alegando "enriquecimento injustificado". A empresa, segundo o site Financial Mail, que teve acesso ao processo, reclama o pagamento de um total de 1.142 randes, o que equivale a quase 70 milhões de euros.

 

A retalhista de mobiliário reclama salários, prémios e valores auferidos através de programas de incentivos, bem como juros e custos legais aos dois executivos, revela a publicação sul-africana.

 

A Steinhoff reclama ao ex-presidente executivo, Markus Jooste, o pagamento de 870 milhões de randes (53 milhões de euros). Já ao CFO, Ben la Grange, é exigido o pagamento de 272 milhões de randes.

 

O Financial Mail adianta que os valores exigidos têm por base uma lista detalhada de danos financeiros alegadamente provocados por Jooste, com a ajuda de La Grange nos últimos dois anos antes do colapso da empresa.

 

Recorde-se que a Steinhoff anunciou, em dezembro de 2017, irregularidades contabilísticas, que acabaram por afetar os resultados entre os anos 2009 e 2017. O relatório da investigação levada a cabo internamente concluiu que os resultados foram inflacionados, tendo, no fim, sido retirados do balanço 8,2 mil milhões de euros, de acordo com a publicação sul-africana.

 

A Dona da Conforama argumenta que se tivesse noção da "verdade dos factos" não teria sido pago qualquer salário ou prémio aos gestores. A Steinhoff exige assim o que os acusados devolvam "todos os salários pagos, todos os prémios auferidos e o valor das ações" no momento em que foram dadas.

 

A empresa sul-africana está, neste momento, em várias frentes judiciais, sendo alvo de pedidos de indemnização. O antigo chairman, Christo Wiese, interpôs um processo onde exige o pagamento de 4,8 mil milhões de dólares, enquanto o empresário GT Ferreira, que era acionista desde 2015, reclama 100 milhões de euros. Uma retalhista de sapatos que foi comprada pela Steinhoff em 2016 exige 120 milhões de euros. 




Marketing Automation certified by E-GOI