Europeu Conte, demasiado bom para o Europeu

Conte, demasiado bom para o Europeu

"A selecção é toda dele. Tem carisma, sabe o que quer e consegue tirar o máximo dos jogadores. Tacticamente é um fenómeno". As palavras são de Christian Vieri, um dos símbolos da Itália futebolística dos últimos 20 anos. E explicam a anomalia da selecção italiana neste Euro 2016: tem o treinador mais sobrequalificado da competição.
Pedro Ferreira Esteves 30 de junho de 2016 às 19:50
É como se Mourinho treinasse Portugal, Guardiola a Espanha, Wenger a França ou Simeone liderasse a Argentina.

São muito melhores que os "seleccionadores nacionais", estão na vanguarda do jogo. E sabem ganhar.

A selecção italiana é um acidente no percurso de um treinador que recuperou a glória da Juventus em Itália, antes de tentar recuperar o Chelsea. Aconteceu quase por acaso (ou porque Conte foi envolvido num escândalo de apostas que o ocupou durante meses, até ser ilibado). Mas dá à Itália a vantagem que se está a ver em campo.

E com um extra, sublinhado por Vieri, depois da desilusão do Mundial 2014: "Vejo tanto orgulho dos adeptos numa selecção que está apaixonada pela camisola".