Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CUF com prejuízos de 20 milhões de euros no semestre por causa da pandemia

Os resultados do primeiro semestre da dona dos hospitais CUF foram impactados pela pandemia. Mas a empresa garante que em junho já sentiu “uma recuperação significativa” da atividade.

Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 11 de Agosto de 2020 às 21:56
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A CUF fechou o primeiro semestre com prejuízos de 20 milhões de euros, um valor que compara com o resultado líquido de 22,4 milhões de euros alcançados em igual período do ano passado, informou o grupo hospitalar em comunicado emitido à CMVM.

Este resultado é explicado pela empresa pelo impacto da pandemia da covid-19 que se refletiu nas contas da CUF principalmente nas últimas semanas de março e nos meses de abril e maio. Em junho a empresa registou já uma "recuperação significativa da atividade assistencial, traduzindo-se em proveitos operacionais 2% acima do período homólogo no segmento privado", evidenciando, assim, "um sinal positivo quanto à recuperação que se espera possa manter-se no segundo semestre do exercício", acrescenta.

Antes deste período, nos meses de janeiro e fevereiro, os proveitos operacionais no segmento dos cuidados de saúde privados apresentaram um crescimento face ao homólogo de 9,6%. No entanto, durante o período de confinamento iniciado a 19 de março, "ocorreu uma inversão da trajetória de crescimento da atividade que se verificava até esse momento, prejudicando a performance nos meses de março, abril e maio", detalha a CUF.

O EBITDA seguiu a mesma tendência de queda registada no acumulado do semestre, tendo deslizado 86,4% para 8 milhões de euros prejudicado pela quebra da atividade.

Nos primeiros seis meses deste ano as receitas totalizaram 229,2 milhões de euros, o que representa uma redução de 40,2% face ao período homólogo. "Excluindo a atividade de Braga e os efeitos extraordinários em 2019, a diminuição dos proveitos operacionais face ao primeiro semestre de 2019 é de 19,2%, refletindo o impacto da pandemia de covid-19", detalha.

Já o rácio de dívida líquida sobre EBITDA "aumentou de 4,48x, no final de 2019, para 10,79x, por via da redução acentuada do EBITDA e do aumento da dívida financeira líquida consolidada em 61,9 milhões de euros para 500,7 milhões de euros".

A CUF explica ainda que o aumento da dívida decorre da conclusão do plano de investimento, nomeadamente do hospital CUF Tejo e do hospital CUF Sintra, bem como do recurso a linhas de financiamento de curto-prazo, no âmbito do contexto da pandemia de covid-19.

Ver comentários
Saber mais CUF saúde
Mais lidas
Outras Notícias