Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da José de Mello Saúde sobem 9,2% em 2016. Dívida também aumenta

A José de Mello Saúde, grupo privado de saúde que detém os hospitais CUF, comunicou à CMVM uma subida de 9,2% do resultado operacional líquido em 2016. A dívida líquida também cresceu, embora tenha sido reduzido o spread médio.

Salvador de mello jose saude
Miguel Baltazar/Negócios
Bruno Simões brunosimoes@negocios.pt 13 de Abril de 2017 às 19:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A José de Mello Saúde registou, no ano passado, um resultado líquido de 23,9 milhões de euros, o que representa uma subida de 9,2% (ou dois milhões de euros) nos seus lucros face ao exercício do ano anterior. Os proveitos operacionais também cresceram 4,7% face a 2015, situando-se em 586,3 milhões de euros. De igual forma, o EBITDA (resultados antes de impostos, depreciações e amortizações) também cresceu 7,7%, fixando-se nos 68,4 milhões de euros.

 

De acordo com o comunicado enviado à CMVM, o grupo atribui esta subida ao "crescimento da actividade assistencial". Também "a melhoria da eficiência operacional" permitiu "incrementar a margem EBITDA global para 11,7%". O ano de 2016 caracterizou-se por um "forte desempenho operacional e financeiro", destaca a José de Mello Saúde, liderada por Salvador de Mello (na foto).

 

No ano passado, este grupo privado de saúde "manteve um crescimento sustentado da sua actividade assistencial nas diferentes áreas de actuação". As consultas, que foram superiores a 2,2 milhões, cresceram 6,7% face a 2015, e os cerca de 86 mil doentes operados foram também em maior número (1%) do que em 2015. As urgências (638 mil) cresceram 11,2% e os 7.800 partos realizados nas unidades do grupo representam um aumento de 3,3%.

 

Os custos operacionais também expandiram 4,3% para 517,9 milhões de euros, o que se explica pelo "aumento de 2,7% do custo das mercadorias vendidas e matérias consumidas e de 7,1% do custo com fornecimento e serviços externos".

 

Dívida sobe mas spread desce

 

A dívida líquida também cresceu 20,5%, passando de 128,6 milhões de euros para 154,9 milhões, o que reflecte o "esforço de investimento em novas unidades realizado durante o ano". A José de Mello Saúde abriu um novo hospital em Viseu, começou a construir a unidade CUF Tejo, em Lisboa, e expandiu as unidades CUF Descobertas (Lisboa), Cascais e Torres Vedras, além de ter lançado a clínica CUF de Almada.

 

Em resultado desses investimentos, o rácio dívida líquida/EBITDA cresceu de 2 para 2,27. Ainda assim, o grupo adianta que conseguiu reduzir o spread médio em 0,3 pontos percentuais, passando de 3,46% para 3,18%, o que permitiu uma "poupança relevante em termos de custos financeiros".

Ver comentários
Saber mais José de Mello Saúde resultados hospitais CUF CMVM
Mais lidas
Outras Notícias