Empresas Manuel Violas: "Mandamos na Super Bock, que continua portuguesa"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Manuel Violas: "Mandamos na Super Bock, que continua portuguesa"

Numa operação-relâmpago, Violas abordou o BPI e, em apenas três semanas, fechou o negócio que o torna dono do destino do Super Bock Group. Uma transacção que avalia a antiga Unicer em 1,65 mil milhões de euros.
Manuel Violas: "Mandamos na Super Bock, que continua portuguesa"
O grupo Violas, liderado por Manuel Violas, "chairman" do Super Bock Group, passa a controlar a antiga Unicer.
Paulo Duarte
Rui Neves 18 de fevereiro de 2018 às 23:30

Manuel Violas, "chairman" do Super Bock Group e líder da Violas SGPS, conta, em entrevista telefónica ao Negócios, detalhes da operação de compra da posição do BPI e que lhe dá o controlo do grupo

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
AA 19.02.2018

MUITO BEM. A MALTA DO NORTE TEM OUTRA FIBRA. NÃO É POR ACASO QUE OS POUCOS GRANDES EMPRESÁRIOS PORTUGUESES SÃO DO NORTE. OS OUTROS - MELLO, ESPÍRITOS MALIGNOS, ETC - É SÓ CORRUPTOS.

não 19.02.2018

Prefiro sagres que é portuguesa. Não bebo merdas estrangeiras.

Ciifrão 19.02.2018

Para ser mesmo portuguesa a cerveja teria de mudar de nome - o Bock parece-me estrangeiro. Depois ser de um português ou de um alemão interessa-me o mesmo, não bebo cerveja. Importante para o país é uma empresa que pague bons salários, o que o patrão amealha, mesmo sendo português, pode ser desbaratado no estrangeiro.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub