Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Medway investe 10 milhões de euros na revisão periódica de 25 locomotivas elétricas

Segundo a empresa, a revisão às locomotivas é feita regularmente, aproximadamente aos 2.400.000 quilómetros de circulação.

Paulo Duarte/Negócios
Lusa 11 de Janeiro de 2021 às 12:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Medway está a investir 10 milhões de euros na revisão periódica de 25 locomotivas elétricas que entraram em operação em 2009, que restantes decorrerá ao longo dos próximos quatro anos, anunciou a empresa nesta segunda-feira.

"A Medway está a investir 10 milhões de euros na revisão periódica da sua frota de locomotivas elétricas LE4700, para que estas possam continuar a operar na Rede Ferroviária Nacional (RFN) nas melhores condições", informou a antiga CP Carga.

Segundo a empresa, a revisão às locomotivas é feita regularmente, aproximadamente aos 2.400.000 quilómetros de circulação.

As 25 locomotivas abrangidas pela operação iniciaram a sua atividade em 2009, "sendo agora o momento para esta grande intervenção por forma a assegurar os elevados níveis de fiabilidade e eficiência", esclareceu a Medway.

A revisão da primeira das 25 foi finalizada em 21 de dezembro e as restantes decorrerão ao longo dos próximos quatro anos.

"Este é um investimento da maior importância para a Medway, pois é imprescindível que as locomotivas elétricas estejam sempre disponíveis para o transporte de mercadorias dos nossos clientes e assim continuem a contribuir para a redução das emissões de CO2 [dióxido de carbono] do setor logístico", apontou o administrador da Medway, Carlos Vasconcelos, citado na mesma nota.

"Não nos podemos esquecer de que o transporte ferroviário permite uma redução de cerca de 70% de emissões de CO2 eq [equivalência em dióxido de carbono], face ao mesmo transporte por modo rodoviário -- redução essa que pode chegar aos 74%, se o transporte for efetuado com recurso exclusivo a locomotivas elétricas", lembrou o responsável.
Ver comentários
Saber mais Medway CO2 economia negócios e finanças transportes transporte ferroviário economia (geral)
Outras Notícias