Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucro da BP desce quase 70% no primeiro semestre

A BP foi a primeira grande petrolífera a mostrar as contas semestrais ao mercado. Os resultados ficaram abaixo do estimado pelos analistas.

Bloomberg
Rui Barroso ruibarroso@negocios.pt 26 de Julho de 2016 às 09:34
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A BP lucrou 1.252 milhões de dólares (1.138 milhões de euros) nos primeiros seis meses do ano, menos 67,8% que no mesmo período do ano anterior. O valor exclui o efeito das variações do "stock" e ajusta a itens não operacionais. A descida é explicada pelo preço mais baixo do petróleo em relação ao mesmo período do ano anterior, o que penalizou as margens de refinação da petrolífera britânica.

Focando apenas no segundo trimestre, o lucro da empresa baixou 45%, em termos homólogos, para 720 milhões de dólares. A média das estimativas de 13 analistas sondados pela Bloomberg apontava para um resultado líquido de 819 milhões de dólares. As acções descem esta terça-feira 1,46% para 4,339 libras. A BP é a primeira grande petrolífera a mostrar os números, pelo que dá uma indicação de como evoluirão os resultados do sector.

"Comparando com o ano passado, o resultado do segundo trimestre foi impactado pelo preço mais baixo do petróleo e do gás e por margens de refinação significativamente mais baixas. O preço médio do Brent foi de 46 dólares no segundo trimestre, acima dos 34 dólares do primeiro trimestre mais significativamente mais baixo que os 62 dólares do ano anterior. Apesar de ter melhorado face ao trimestre anterior, as margens de refinação foram as mais fracas num segundo trimestre desde 2010", referiu Bob Dudley, o presidente-executivo da empresa, num comunicado divulgado pela BP.

A BP tem tentando compensar a quebra dos preços do petróleo com um corte do investimento. Na primeira metade do ano, o investimento foi de 8,1 mil milhões de dólares, menos 11% que no mesmo período de 2015. Apesar disso, a dívida líquida aumentou de 24,8 mil milhões de dólares para 30,9 mil milhões de dólares, com a empresa a recorrer a financiamento para sustentar os dividendos. A petrolífera aproveitou os resultados para anunciar que iria manter o dividendo trimestral de dez cêntimos de dólar por acção, a pagar em Setembro.

Além dos resultados, a BP actualizou as estimativas dos custos totais com as indemnizações por causa do acidente da Deepwater Horizon, a plataforma petrolífera que provocou um derrame de petróleo no Golfo do México. Situam-se em 61,6 mil milhões de dólares. No segundo trimestre, a BP reservou mais 5,2 mil milhões de dólares, antes de impostos, para fazer face a essas compensações. 

Ver comentários
Saber mais BP Bloomberg Brent Bob Dudley Deepwater Horizon Golfo do México economia negócios e finanças energia petróleo e gás (extração)
Mais lidas
Outras Notícias