Imobiliário Lucros da Sonae Sierra aumentam 25% para 19 milhões no primeiro trimestre

Lucros da Sonae Sierra aumentam 25% para 19 milhões no primeiro trimestre

A negociar a fusão da sua subsidiária no Brasil com a Aliansce, o braço da Sonae para o negócio dos centros comerciais fechou o primeiro trimestre deste ano com um resultado líquido de 19,1 milhões de euros, contra 15,3 milhões um ano antes.
Lucros da Sonae Sierra aumentam 25% para 19 milhões no primeiro trimestre
DR
Rui Neves 21 de maio de 2019 às 11:11

A Sonae Sierra continua a implementar a sua estratégia de reciclagem de capital, tendo no arranque do ano vendido uma participação de 9% que detinha no centro comercial Loop5, na Alemanha, e fechado a conclusão da alienação do LeiriaShopping em abril passado.

 

Ainda no primeiro trimestre do ano, anunciou a "joint venture" Sierra Balmain, através da aquisição de uma participação de 50% na Balmain, uma empresa de prestação de serviços polaca com um portefólio de 15 centros comerciais sob gestão, e que surge como plataforma para uma possível expansão para outros mercados da Europa de leste.

 

Já Socimi ORES, o fundo gerido pela área de gestão de investimentos da Sonae Sierra, adquiriu um ativo numa rua principal em Burgos (Espanha), ocupado pela marca Stradivarius.

 

Acresce as negociações da sua subsidiária Sonae Sierra Brasil com a Aliansce rumo a uma fusão.

 

Em termos financeiros, a Sonae Sierra fechou os primeiros três meses do ano com um resultado líquido de 19,1 milhões de euros, mais 25% do que no mesmo período do ano passado.

 

O EBIT cresceu 9%, refletindo a melhoria no desempenho do portefólio na Europa e Brasil, bem como o aumento da atividade de prestação de serviços.

 

"Este crescimento é particularmente notável, pois o EBIT foi afetado pela variação da taxa de câmbio do real brasileiro, e pela alienação de ativos", realça a Sonae Sierra, em comunicado.

 

Já o resultado direto aumentou para 19,6 milhões de euros, um crescimento de 16% comparativamente ao mesmo período de 2018, devido à melhoria do seu portefólio de ativos, tanto ao nível das rendas, como das vendas dos lojistas, e a um crescimento significativo do EBIT da atividade de prestação de serviços, explica a empresa.

 

"A Sonae Sierra registou um desempenho operacional sólido no primeiro trimestre de 2019, período durante o qual manteve o foco na implementação da sua estratégia de crescimento da prestação de serviços e de desenvolvimento de novos projetos, bem como, de reciclagem de capital", afirma Fernando Guedes de Oliveira, CEO da companhia.

 

Numa base comparável, as vendas dos lojistas cresceram 1,8% na Europa, "apesar do efeito adverso do calendário da Páscoa deste ano", tendo beneficiado de um forte desempenho na Roménia, Espanha e Brasil, onde os aumentos foram, respetivamente, de 21,9%, 4,7% e 3,7%.

 

Ainda numa base comparável, salienta, as rendas cresceram 3,8% na Europa, com um desempenho positivo registado em todas as geografias.

 

Inaugurado o seu primeiro centro comercial na Colômbia, o Jardín Plaza Cúcuta, em fevereiro passado, a Sonae Sierra prossegue com alguns novos projetos, como a construção do McArthurGlen Designer Outlet Málaga, em Espanha, e a expansão do NorteShopping.

 

A 31 de março de 2019, o net asset value (NAV) da Sonae Sierra atingiu os 1,5 mil milhões de euros, "um aumento de 1,6% comparativamente com dezembro de 2018, devido essencialmente ao resultado líquido do período", justifica a empresa. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI