Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Altri vai aumentar preços da pasta de papel no próximo ano, em linha com o setor

O preço da pasta de papel vai sofrer um novo aumento a partir do próximo ano, de acordo com analistas, depois da brasileira Suzano ter alertado uma subida para os clientes europeus e norte-americanos. A Altri vai seguir este cenário, com uma subida de 70 dólares por tonelada.

Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 15 de Dezembro de 2020 às 10:19
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
A Altri vai aumentar os preços da pasta de papel a partir do próximo ano face aos atuais 680 dólares por tonelada, seguindo a tendência registada no setor, depois de a brasileira Suzano ter dado o "tiro de partida".

A Suzano, a maior empresa do mundo do setor, notificou os seus clientes na Europa e na América do Norte de um aumento de preços na pasta de papel para os 750 dólares por tonelada para os clientes europeus e 970 dólares por tonelada para os clientes norte-americanos.

Ao Negócios, a Altri confirma que "vai acompanhar" esta subida, com um aumento de 70 dólares por tonelada.

"São notícias positivas para as empresas da Península Ibérica. Isto é um aumento relevante nos preços (maior do que os aumentos normais de preços anunciados pela indústria) e surge antes das nossas expectativas", pode ler-se na nota de hoje dos analistas do CaixaBank/BPI.

Acrescentam que a mudança nos preços se deve efetuar depois das festividades de Ano Novo chinês, no final de janeiro, que é uma "altura de forte procura". "Este aumento de preços prova que a procura está a evoluir de forma robusta, o que é uma leitura positiva para toda a indústria", escrevem.

Os analistas apontam para uma subida média dos preços para os 740 dólares por tonelada para a Europa em 2021. A acontecer representaria um aumento de 70 dólares, em comparação com os valores atualmente praticados.

Também os analistas do JB Capital consideram que estas são "boas notícias para a Altri e para a Ence". "Já vimos dois aumentos de preços na China e estamos à espera que a Europa acompanhe", pode ler-se na nota de hoje.

"Isto confirma o bom momento para os 'players' de pasta de papel com o fluxo de notícias a ser mais positivo do que nós esperávamos", dizem os analistas, apontando para um preço médio de 765 dólares (+85 dólares face aos atuais) por tonelada na Europa, a partir do próximo ano.

Recuperação forte em bolsa
As ações da Altri estão hoje a desvalorizar mais de 1%, mas desde os mínimos de março já valorizaram mais de 90%, estando perto de eliminar as perdas sofridas durante este ano no mercado bolsista. Esta tendência foi vincada principalmente a partir de novembro deste ano. Desde então, cada título da cotada portuguesa passou a valer mais 65%.

De acordo com a Bloomberg, o preço-alvo médio de todas as casas de investimento que cobrem a Altri é de 5,98 euros por ação, o que representa um potencial retorno de 13,3% face ao valor de fecho da última sessão.

Também a Navigator tem consguido recuperar desde os valores de março (+35%), mas com menos fulgor. No ano como um todo, a papeleira acumula uma desvalorização de 29%, superior à queda de 7% da Altri.
Ver comentários
Saber mais Altri Europa Suzano economia negócios e finanças indústria transformadora papel e embalagem media mercado e câmbios
Outras Notícias