Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Alargar a rede de contactos

A Carbono Eficiente já existia há um ano, quando José Esteves decidiu passar seis meses na Energia Sur da Europa. De lá, trouxe mais contactos e detalhes sobre a gestão de centrais de biogás de grande escala.

Ana Pimentel 02 de Dezembro de 2010 às 15:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...





José Esteves espera que, nas próximas edições, seja incentivada
a utilização de ferramentas de trabalho à distância.




A Carbono Eficiente desenvolve equipamentos para a produção e valorização de biogás para unidades de pequena escala. Aproveita os resíduos agro- -pecuários e transforma-os em energia, nomeadamente, em biogás. Actualmente, está a tentar obter mais capitais para que consiga uma maior produção e exportação. Objectivo: contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade.

José Esteves, 36 anos, é o director geral e teve conhecimento do programa Erasmus para Jovens Empreendedores através da Unidade de Transferência de Tecnologia da Universidade de Aveiro (UATEC). Filho de portugueses, nasceu no Brasil e há seis anos que mora em Portugal. Quando chegou, iniciou um negócio na área da metalurgia, em Seia, e foi aí que teve o primeiro contacto com o universo das energias renováveis. Movido pela curiosidade, inscreveu-se no mestrado em sistemas energéticos sustentáveis, onde identificou uma lacuna do mercado.

Porque não transformar resíduos agro-pecuários em energia biogás? Com o apoio da UATEC, apresentou o projecto ao Finicia e conseguiu capital de risco para avançar.

A Carbono Eficiente tinha um ano de existência quando José Esteves se aventurou durante seis meses, em Espanha. A sua morada passou a ser a rua da Energia Sur da Europa, empresa que explora centrais de biogás de aterro, em Sevilha, onde aprovava estudos para avaliação de novos mercados.

"Tive a oportunidade de avaliar o mercado espanhol e conhecer mais detalhes do sector de centrais de biogás de grande escala", comenta o mestre em sistemas energéticos sustentáveis. Não fosse essa a sua área de negócio. "Aproveitei para ter contacto com o sector". O crescimento da rede de contactos que obteve em Espanha foi, sem dúvida, a principal vantagem do programa. Para o futuro, considera que as ferramentas de trabalho devem ser incentivadas à distancia, através de uma plataforma institucional, pois a ausência do empreendedor da própria empresa exige uma maior dedicação, sobretudo, na fase inicial.
Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias