Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal só tem 14,4% de mulheres tecnológicas: PWIT atrai “techgirls” nas escolas

A comunidade Portuguese Women in Tech (PWIT), em parceria com a E-Redes, vai lançar um programa inspirador junto de milhares de jovens portugueses, em 800 agrupamentos escolares, propondo-se alcançar, numa década, “um maior equilíbrio de géneros no setor”.

Rui Neves ruineves@negocios.pt 23 de Novembro de 2021 às 15:04
  • Partilhar artigo
  • ...

Em Portugal, apenas um em cada dez profissionais no mundo da tecnologia é mulher, apontava já - pouco tempo antes do eclodir da pandemia de covid-19 - o estudo "Pionners", da comunidade Portuguese Women in Tech (PWIT), naquele que foi o primeiro retrato sobre mulheres neste setor no nosso país.

 

Uma conclusão confirmada pelo Eurostat, que aponta que o elemento feminino representa somente 14,4% da força de trabalho na área de Tecnologias de Informação, número que está abaixo da média europeia.

 

Mais: de acordo com o Global Gender Gap Report 2020, do Fórum Económico Mundial, o fosso económico entre homens e mulheres tem aumentado, sendo uma das causas o número reduzido de mulheres que ocupa posições em tecnologia, área que tem assistido a um crescimento substancial.

 

Para dar a volta a este desequilíbrio de género, a comunidade Portuguese Women in Tech lança esta terça-feira, 23 de novembro, em parceria com a E-Redes, uma iniciativa que batizou de Future PWIT e que pretende inspirar milhares de jovens portugueses a seguir uma carreira tecnológica, propondo-se alcançar, em 10 anos, um maior equilíbrio de géneros no setor.

 

"Nos próximos meses, a Future PWIT irá disponibilizar um programa completo de conteúdos para serem distribuídos por escolas de norte a sul do país. Professores e orientadores do segundo e terceiro ciclos, assim como do ensino secundário, terão acesso a, entre outros, ferramentas de trabalho para serem utilizadas em contexto de sala de aula, incluindo material inspiracional e exercícios práticos", conta a PWIT, em comunicado.

 

"Acreditando que um dos fatores que tem um papel mais importante na atração de mais mulheres para a tecnologia é a existência de modelos que sirvam como exemplo", a Future PWIT irá promover também "histórias de sucesso, com vídeos de entrevistas a mulheres com diferentes perfis e experiências que têm tido um percurso notável na área em Portugal".

 

Liliana Ferreira (diretora-geral da Fraunhofer Portugal), Verónica Orvalho (fundadora e CEO da MyDidimo), Anabela Ferreira (senior agile business analyst na Natixis) e Margarida Henriques (business unit director na E-Redes) são alguns dos nomes que participam nesta iniciativa.

 

Future PWIT quer alcançar milhares de estudantes, dos 10 aos 18 anos, em 800 agrupamentos escolares

 

Criada em 2016, tendo já promovido uma série de iniciativas com vista a atrair mais mulheres para a área tecnológica, assim como apoiar as profissionais que já trabalham nesta área, a PTWT pretende com esta nova ação "alcançar milhares de alunas e alunos, dos 10 aos 18 anos, em cerca de 800 agrupamentos escolares", assumindo que visa sobretudo "atrair jovens mulheres" .

 

"Com a Future PWIT pretendemos inspirar jovens por todo o país com ferramentas diversas e histórias de quem escolheu a tecnologia como carreira. Se esta iniciativa fizer com que um número significativo de alunas e alunos equacionem esta área para o seu futuro laboral, o nosso objetivo estará, em parte, cumprido", afirma Inês Santos Silva, cofundadora da comunidade Portuguese Women in Tech.

 

"Para além de termos impacto nas gerações mais novas, a nossa grande expectativa é conseguir uma mobilização da comunidade em geral, com especial enfoque em pais e professores. Acreditamos que uma mudança de perceção é alcançável, mas tal só é possível trabalhando com as gerações que serão a futura força de trabalho", sublinha a mesma responsável.

 

"Esta iniciativa insere-se no compromisso de promoção de medidas que fomentam a diversidade de género e reflete a constante preocupação da E-Redes em incorporar, na sua estratégia de gestão, princípios de igualdade. Integrar mais mulheres nas equipas e na liderança contribuirá para o desenvolvimento de uma cultura inclusiva, diversa e socialmente responsável", defende José Ferrari Careto, presidente da E-Redes.

 

José Ferrari Careto e Inês Santos Silva vão estar presentes, esta terça-feira, no lançamento oficial da Future PWIT, que irá decorrer no Museu da Eletricidade, em Lisboa, e que contará também, entre outros responsáveis, com a participação de Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade.

Ver comentários
Saber mais future pwit portuguese women in tech tecnologia e-redes escolas inês santos silva josé ferrari careto
Outras Notícias