Tecnologias Primavera manda para casa dois terços dos 300 funcionários em Braga e Lisboa

Primavera manda para casa dois terços dos 300 funcionários em Braga e Lisboa

Após cancelar viagens e ações de formação, a tecnológica portuguesa aderiu ao teletrabalho em regime rotativo. Plano prevê trabalho à distância para os pais ficarem com os filhos, se as escolas fecharem.
Primavera manda para casa dois terços dos 300 funcionários em Braga e Lisboa
António Larguesa 12 de março de 2020 às 16:16

Dois em cada três colaboradores da Primavera em Portugal estão já a trabalhar a partir de casa, "num modelo de trabalho rotativo que protegerá em simultâneo os colaboradores, as suas famílias e a empresa".

 

"Com este modelo garantiremos que a empresa se mantém a laborar e estaremos a colaborar com as entidades de saúde no sentido de evitar ao máximo a propagação do vírus", disse ao Negócios o co-CEO, José Dionísio.

 

Nos escritórios de Braga (sede) e de Lisboa, a tecnológica emprega atualmente cerca de 300 pessoas. Fora do país, a empresa fundada em 1993 tem instalações em Madrid (Espanha), Luanda (Angola), Maputo (Moçambique) e na ilha de Santiago (Cabo Verde).

 

E se as escolas fecharem, o empresário garante que o plano de contingência prevê que "todas as pessoas com doenças crónicas e pais/mães que precisem de ficar em casa com os filhos (…) possam ficar em regime de trabalho à distância até a situação de crise de saúde pública estar completamente resolvida".

 

"Acreditamos que se todos tomarem medidas de contingência idênticas, conseguiremos estancar a propagação do novo Coronavírus Covid-19 e contribuir para minimizar os danos na economia do país. Mas essa responsabilidade é de todos nós e não apenas das entidades governativas", advertiu José Dionísio.

 

Das viagens à formação

 

Até ao momento, o maior impacto do Covid-19 sente-se no cancelamento das viagens para prestar apoio tecnológico às empresas sobretudo no país vizinho e nos mercados africanos. É que, apesar de ter equipas locais, era frequente ter consultores em trânsito pelos vários países.

 

Também a Primavera Academy, que anualmente forma milhares de pessoas, cancelou todas as ações de formação em sala em Lisboa e em Braga, que serão reagendadas ou irão decorrer online. Suspenso ficou também o projeto Primavera Education, um programa de literacia digital que visa aproximar os estudantes do ensino secundário e superior ao mundo do trabalho.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI