Anacom recebeu mais de 100 mil queixas em 2017

O número de queixas que deu entrada na Anacom aumentou 16,6% no ano passado. A Meo lidera aumento das reclamações no sector de telecomunicações. No sector postal, as queixas contra os CTT dispararam 46,9%.
Pedro Elias
pub
Sara Ribeiro 06 de setembro de 2018 às 15:23

No ano passado, a Anacom recebeu 101,1 mil reclamações, um aumento de 16,6% face a 2016. Os números foram divulgados esta quinta-feira no Relatório de Regulação, Supervisão e outras Actividades publicado no site do regulador do sector de comunicações.

No que toca à esfera das telecomunicações, a Meo foi a operadora cujas reclamações mais aumentaram face a 2016 (+47%), seguida da Vodafone (+31%) e da NOS (+14%), conclui o regulador. A Anacom sublinha ainda que houve um "significativo aumento do número de reclamações de clientes da Nowo", uma vez que o peso destas no total das reclamações subiu de 2% para 4%.

A maioria das queixas dos clientes está relacionada com problemas com a facturação (11%), seguindo-se questões que envolvem equipamentos (7%) e o cancelamento do serviço (7%).

No que toca ao serviço postal, "a maioria das reclamações recebidas através do livro de reclamações dos operadores diziam respeito ao grupo CTT (93%), tendo as reclamações respectivas aumentado 46,9% face a 2016", observa a Anacom no relatório.

Neste campo, os motivos dizem respeito à distribuição, por problemas como "extravio/atraso significativo (17%), atraso na entrega (15%), falha na distribuição (15%), atendimento (8%) ou entrega na morada errada (7%)", entre outros.

pub

pub