Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Reino Unido recua e pode fechar portas do 5G à Huawei após sanções dos EUA

Boris Johnson pode vir a trancar a porta à entrada da Huawei na construção das redes de quinta geração este ano, após as sanções dos Estados Unidos à empresa chinesa impostas em maio.

10.º Huawei: 65,08 mil milhões de dólares
Hannibal Hanschke/Reuters
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 06 de Julho de 2020 às 14:23
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Afinal, o Reino Unido está a preparar-se para impedir a entrada de equipamento da gigante chinesa Huawei na construção das suas redes de 5G este ano, de acordo com a imprensa britânica. A acontecer, marca uma reviravolta na vontade do primeiro ministro britânico Boris Johnson, que no início deste ano abriu a porta à companhia chinesa na construção das  redes de quinta-geração, embora com limitações. 

Segundo o The Sunday Times e o The Daily Telegraph, esta aparente mudança foi impulsionada por um novo relatório da agência de inteligência britânica GCHQ, que levantou novos receios sobre o impacto que a entrada da Huawei teria na  segurança nacional, seguindo a mais recente sanção imposta por Washington.


Esta nova restrição dos Estados Unidos à Huawei, que entrou em vigor em maio deste ano, pressupõe que as empresas estrangeiras que utilizem componentes fabricados por tecnológicas norte-amercianas necessitem de uma declaração de aprovação para vender semicondutores à Huawei. 

Depois de implementada esta nova sanção, o departamento de Segurança do Reino Unido lançou uma revisão de emergência sobre a entrada da Huawei em solo britânico. Agora que o estudo está concluído e prestes a ser apresentado, a imprensa local avança que a revisão mostra que a imposição dos Estados Unidos vai obrigar a Huawei a usar componentes duvidosas e que podem impossibilitar o governo britânico de controlar potenciais riscos.   

Washington mantém a tese de que a Huawei é um risco para a segurança nacional, alegando que o seu equipamento poderia ser usado por Pequim para espionagem, apesar de a cotada chinesa ter negado esta acusação por diversas vezes. 


Em janeiro deste ano, em vésperas do divórcio do Brexit, Boris Johnson anunciou que poderia permitir que a Huawei construísse redes de quinta-geração em terras de sua Majestade, embora devam ser implementadas algumas restrições. Esta potencial "luz verde" por parte de Londres caiu mal na Casa Branca e abanou as relações comerciais entre ambos. 
Ver comentários
Saber mais Reino Unido 5G Huawei EUA Boris Johnson Washington Estados Unidos política economia negócios e finanças diplomacia tecnologias de informação relações internacionais segurança defesa
Mais lidas
Outras Notícias