Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Transportadoras de mercadorias prometem luta pela "sobrevivência"

As transportadoras de mercadorias vão debater o aumento do imposto sobre o gasóleo em seis cêntimos e "definir acções" em defesa do sector. O encontro realiza-se a 13 de Fevereiro em Pombal.

André Cabrita-Mendes andremendes@negocios.pt 11 de Fevereiro de 2016 às 12:33
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) vai reunir-se para debater e estipular medidas em defesa do sector. 

O encontro vai ter lugar no sábado, 13 de Fevereiro, em Pombal, e pretende "reflectir sobre o estado do sector e definir acções que visem a defesa da actividade transportadora", anunciou a Antram esta quinta-feira, 11 de Fevereiro.

O sector dos transportes defende que "não pode assistir, imóvel, a este enorme ataque à capacidade das empresas subsistirem, cumprindo a sua função económica e social". Por isso, "não deixará de lutar por todos os meios legítimos pela sua sobrevivência", diz a associação presidida por Gustavo Paulo Duarte (na foto).

Esta reunião acontece em consequência do aumento de seis cêntimos por litro no imposto do gasóleo rodoviário, conforme previsto no Orçamento do Estado para 2016.

O Executivo já respondeu e garante que o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) "não vai ter uma repercussão nas contas das empresas".

"O Governo vai neutralizar esse impacto através da majoração do reflexo nas contas dessas empresas, em termos do abatimento deste custo adicional decorrente do aumento" do imposto, explicou esta semana o ministro das Finanças, Mário Centeno.

O responsável da pasta das Finanças esclareceu que este benefício fiscal permite assim, "com essa neutralização, que este aumento do ISP não se reflita na economia, não tenha um efeito de arrastamento para a economia, porque ele é completamente absorvido por esta majoração no abatimento dos custos das empresas".

Antes, a Antram ameaçou ir para Espanha abastecer. Esta intenção foi bem recebida pela Galp, que garantiu estar preparada para abastecer os transportadores do lado de lá da fronteira.
 

"Temos que tornar este problema numa oportunidade. Se não os podemos abastecer em Portugal, tudo faremos para os abastecer em Espanha", sublinhou recentemente o presidente executivo da Galp, Carlos Gomes da Silva.

Também a Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP) já reagiu a esta medida e declarou que está a "ponderar formas de luta para constetar o aumento do imposto.

Ver comentários
Saber mais Antram transportes transporte rodoviário Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias
Mais lidas
Outras Notícias