Bolsa A semana em oito gráficos: Há três anos que o PSI-20 não caía tanto numa semana

A semana em oito gráficos: Há três anos que o PSI-20 não caía tanto numa semana

As bolsas europeias perderam terreno de forma generalizada, esta semana, com a ameaça de novas tarifas dos EUA às importações chinesas e a desilusão provocada pela Fed entre os fatores que mais pressionaram.
A semana em oito gráficos: Há três anos que o PSI-20 não caía tanto numa semana
Reuters

No Velho Continente, as principais praças bolsistas registaram saldos semanais negativos, tendo o PSI-20 sido o que mais recuou entre as principais praças da Europa Ocidental.

 

A penalizar o índice de referência nacional no acumulado das cinco sessões estiveram sobretudo o BCP e as papeleiras.

 

Na quarta-feira, a Reserva Federal norte-americana desceu os juros diretores em 25 pontos base mas o seu presidente, Jerome Powell, declarou que a decisão não sinalizava necessariamente um longo ciclo de cortes da taxa dos fundos federais, o que desanimou os mercados acionistas.

 

No dia seguinte foi a vez de Donald Trump abalar os mercados. O presidente dos EUA anunciou ao final do dia que vai impor, a partir de 1 de setembro, tarifas aduaneiras adicionais sobre o equivalente a 300 mil milhões de dólares de produtos chineses que entrem no país. Isto no caso de as duas partes não chegarem a um acordo (a ronda de negociações desta semana durou apenas dois dias e terminou sem resultados). Ontem, a China prometeu retaliar.

 

Este clima de tensão levou os investidores a transitarem dos mercados acionistas para ativos tradicionalmente menos arriscados, como é o caso das obrigações soberanas. 

 

Quando Donald Trump falou, as bolsas europeias já tinham encerrado, pelo que o efeito negativo deste lado do Atlântico se fez sentir na sexta-feira.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI