Bolsa Bolsa recupera à boleia das energéticas e do BCP

Bolsa recupera à boleia das energéticas e do BCP

Portugal contraria a tendência europeia, numa altura em que os investidores aguardam pelo discurso de Powell perante o Congresso norte-americano, no qual dará novas pistas sobre o rumo da política monetária.
A carregar o vídeo ...
Rafaela Burd Relvas 10 de julho de 2019 às 08:10
A bolsa nacional abriu a sessão desta quarta-feira, 10 de julho, a registar ganhos ligeiros, interrompendo um ciclo de três sessões consecutivas de perdas. O PSI-20 está a negociar acima da linha de água, a valorizar 0,02% para os 5.154,72 pontos, com sete cotadas em alta, nove em queda e duas inalteradas.

A contribuir para este movimento estão as cotadas do setor energético. A EDP Renováveis está a valorizar 0,44% para os 12,82 euros por ação, depois de ter reportado um aumento da produção de energia no primeiro semestre do ano, um resultado que está a ser aplaudido pelos investidores. Já a EDP segue inalterada nos 3,38 euros por ação.

Também a Galp está a impulsionar o PSI-20, ao valorizar 0,41% para os 13,54 euros, a acompanhar o movimento do petróleo nos mercados internacionais. Os preços da matéria-prima estão a ser impulsionados depois de ter sido reportada uma quebra dos stocks nos Estados Unidos, que superou as expectativas dos analistas, e numa altura em que se mantêm tensões no Médio Oriente.

Já os maiores ganhos estão a ser registados pelo BCP, que avança 0,71% para os 28 cêntimos por ação. Destaque ainda para as papeleiras, que recuperam das quedas expressivas registadas na última sessão e seguem agora a negociar no verde. A Semapa avança 0,47% para os 12,76 euros e a Navigator soma 0,37% para os 3,23 euros. Só a Altri continua no vermelho, a cair 0,42% para os 5,90 euros por ação.

A impedir ganhos mais expressivos do PSI-20 estão a Jerónimo Martins, que perde 0,52% para os 14,24 euros, e a a Nos, que recua 0,71% para os 5,61 euros.

No resto da Europa, a tendência continua a ser de quedas, à semelhança do que tem acontecido nas últimas sessões. O Stoxx 600, índice que reúne as maiores cotadas europeias, acumula já a quarta sessão de quedas e está a perder 0,25% para os 386,94 pontos, a ser penalizado pelos setores de serviços e retalho.

Por esta altura, os investidores aguardam pelo discurso do chairman da Reserva Federal norte-americana, Jerome Powell, perante o Congresso dos Estados Unidos, onde deverá deixar pistas sobre o rumo da taxa de juro diretora, bem como sobre a evolução da economia. Ainda esta quarta-feira, serão divulgadas as minutas da última reunião de política monetária do banco central norte-americano.

A expectativa continua a ser de que haja uma diminuição dos juros ainda este mês, mas o crescimento dos salários nos Estados Unidos, bem como a evolução positiva da criação de emprego, deverão servir como argumento para que a Fed não avance já com um corte significativo, como chegou a ser antecipado pelos mercados.

Também os mercados europeus se preparam para um possível corte dos juros. O Banco Central Europeu (BCE) apresenta, na quinta-feira, as atas da última reunião de política monetária, que decorreu no dia 6 de junho e na qual os governadores do banco central decidiram manter os juros inalterados. Contudo, na altura, Mario Draghi admitiu que "vários membros do conselho de governadores referiram a possibilidade de corte de juros".

Notícia atualizada às 08h19 com mais informação.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI