A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Caso EDP faz derrapar cotadas e pressiona PSI-20

O índice PSI-20 abriu a semana com o "pé esquerdo", pressionada sobretudo pelo grupo EDP, após o pedido de suspensão por parte do Ministério Público de António Mexia e Manso Neto dos cargos de CEO.

A carregar o vídeo ...
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 08 de Junho de 2020 às 08:14
  • Assine já 1€/1 mês
  • 13
  • ...
A bolsa nacional acompanhou o sentimento das restantes praças europeias e abriu esta primeira sessão da semana a desvalorizar 1,20% para os 4.553,95 pontos, pressionada principalmente pelo grupo EDP, devido ao caso que envolve ambos os CEO's de ambas empresas.

Hoje, os dados da produção industrial alemã puseram os investidores novamente em sentido, depois do instituto de estatística germânico ter anunciado uma contração de 17,9% em abril, uma das maiores quedas de sempre registadas pelo país neste segmento. 

Num mês marcado pelo encerramento de grande parte das lojas e fábricas, devido ao confinamento decretado pela chanceler alemã Angela Merkel, a indústria transformadora surge como o setor mais afetado. 

Os investidores aguardam também pelo discurso de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE), que estará hoje no Parlamento Europeu, numa intervenção que acontece menos de uma semana depois de o banco central ter anunciado um reforço de 600 mil milhões de euros do seu compra de ativos especialmente criado para reagir à covid-19.

Por cá, o destaque vai então para a família EDP, com a empresa liderada por António Mexia a desvalorizar 2,57% para os 4,140 euros por ação e a EDP Renováveis, liderada por João Manso Neto, a perder 2,44% para os 12,00 euros por ação. 

Isto, depois de na semana passada, o Ministério Público (MP) ter proposto a suspensão de funções de António Mexia e de Manso Neto dos cargos, devido à "prática de quatro crimes de corrupção ativa e de um crime de participação económica em negócio".

Entretanto, a EDP emitiu dois comunicados a garantir que a gestão da elétrica mantém o seu funcionamento normal e tem até 15 de junho para exercer o direito de contraditório.

No resto da praça portuguesa, o BCP abriu a semana também em queda (-0,34%), assim como a petrolífera Galp (-0,50%) - mesmo com os preços do petróleo a subirem.

A cair estão também as empresas do setor da pasta e do papel, com a Altri e a Navigator a desvalorizarem 1,16% e 0,17%, respetivamente. A Semapa - dona da Navigator - perde 1,40% para os 9,15 euros. 
Ver comentários
Saber mais psi-20 bolsa bcp edp galp
Mais lidas
Outras Notícias