Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Powell interrompe derrocada em Wall Street

Os principais índices acionistas norte-americanos estavam a negociar em forte queda, mas as declarações do presidente da Fed fizeram inverter a tendência na reta final da negociação de hoje. No entanto, nos últimos minutos o Nasdaq voltou a ceder, se bem que longe dos mínimos do dia.

Wall Street viveu, nos últimos dias, alguns dos dias mais “negros” da sua história.
Lucas Jackson/Reuters
Carla Pedro cpedro@negocios.pt 23 de Fevereiro de 2021 às 21:20
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Dow Jones fechou a subir 0,05%, para 31.537,35 pontos, depois de durante a sessão de ontem ter chegado aos 31.653,48 pontos, o valor mais alto de sempre (hoje chegou a tocar nos 31.653,38 pontos, quase estabelecendo um novo recorde).

 

Já o Standard & Poor’s 500 somou 0,13% para 3.881.37 pontos, depois de ter chegado a cair 1,8% durante a jornada.Na transação intradiária de terça-feira da semana passada tocou nos 3.950,43 pontos – o que constituiu um novo máximo histórico – antes de fechar em baixa.

 

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite terminou a recuar 0,50% para 13.465,20 pontos. Chegou a afundar 3,5%, devido ao continuado desinvestimento nas tecnológicas em prol de outros setores, antes de inverter a tendência para terreno positivo, mas nos últimos minutos regressou ao vermelho.

 

No dia 16 de fevereiro, o Nasdaq fixou um recorde nos 14.174,56 pontos, pelo que numa semana perdeu cerca de 700 pontos.

 

A contribuir para a reviravolta na fase final do dia de negociação estiveram as palavras do presidente da Reserva Federal, que falou perante os membros do comité da banca do Senado.

 

Jerome Powell disse que as perspetivas para a economia norte-americana são agora mais favoráveis e que no final deste ano as melhorias já deverão ser mais visíveis, apesar de o caminho até uma recuperação total ser ainda é longo.

 

O presidente da Fed veio também tranqulizar os investidores, ao dizer que o banco central não está nem perto de retirar o seu apoio à economia. Além disso, deu voz às expectativas de um regresso a uma atividade mais normal e melhorada em finais deste ano e dise que a subida dos juros da dívida pública reflecte o otimismo na economia e não receios de inflação.

 

As companhias aéreas e de alojamento, bem como os títulos cíclicos – mais sensíveis à evolução da economia –, estiveram entre os melhores desempenhos, já que se espera que sejam grandes beneficiários do fim dos confinamentos decorrentes da pandemia numa altura em que os programas de vacinação avançam.

Ver comentários
Saber mais wall street dow jones s&p 500 Nasdaq bolsas EUA
Outras Notícias