Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Resultados deixam Wall Street em queda pela terceira semana

Em Janeiro o S&P 500 caiu 3,6%. Foi a primeira queda mensal desde Agosto e o pior arranque de ano desde 2010.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...

As bolsas norte-americanas fecharam em terreno negativo, pressionadas pelos resultados abaixo do esperado que foram apresentados por diversas cotadas.

 

O Dow Jones caiu 0,94% para 15.698,85 pontos, o Nasdaq baixou 0,47% para 4.103,87 e o S&P500 desvalorizou 0,75% para 1.780,82 pontos.

 

Foi a terceira semana consecutiva de perdas para os índices accionistas norte-americanos, o que representa a série de perdas mais longa desde Maio de 2012.

 

No acumulado de Janeiro o S&P500 caiu 3,6%, o pior arranque de ano desde 2010 e a primeira queda mensal desde Agosto do ano passado.

 

A crise nos mercados emergentes justifica grande parte da prestação negativa na última metade do mês, mas os resultados de diversas cotadas também contribuíram para o desempenho, no que continua a ser um movimento de correcção face aos máximos históricos recentes.

 

Amazon e Mattel desiludem

 

Foi o que se passou na sessão desta sexta-feira, com os índices a serem penalizados pela apresentação de resultados de cotadas como a Amazon, cujos números ficaram aquém do esperado

 

Os resultados apresentados na quinta-feira, já depois do fecho do mercado, e esta sexta-feira, 31 de Janeiro, estão a ser mal recebidos pelos investidores. E nem o facto dos gastos dos consumidores terem crescido 0,4%, em Dezembro, superando as previsões dos economistas consultados pela Bloomberg, conseguiu animar os investidores. Este indicador assume maior relevância uma vez que o consumo das famílias representa cerca de 70% da economia americana.

 

As acções da Amazon recuaram 11% para 358,69 dólares, depois de ter reportado um aumento dos lucros para 51 cêntimos por acção, no quarto trimestre. Os analistas consultados pela Bloomberg antecipavam lucros de 69 cêntimos. As vendas para fora dos EUA abrandaram o ritmo de crescimento, num período em que os custos de envio aumentaram. As receitas cresceram 20% para 25,6 mil milhões de dólares, ficando igualmente aquém do estimado pelos analistas que apontavam para receitas de 26,1 mil milhões de dólares.

 

A Mattel afundou 12,2% para 37,84 dólares (a maior queda no Nasdaq 100, com a Amazon em segundo) depois de também ter apresentado resultados que decepcionaram os investidores.

 

Já a Google subiu 4,01% para 1.180,97 dólares, isto depois de ter revelado que os seus lucros cresceram 17% para 3,38 mil milhões de dólares. Mas os resultados, excluindo itens extraordinários, foram de 12,01 dólares por acção, quando os analistas consultados pela agência Bloomberg estimavam um lucro de 12,25 dólares.

 

A justificar a subida das acções está o facto das receitas, excluindo as que são geradas pelos parceiros, aumentaram mais do que o estimado.

 

Apesar destes resultados, cerca de 79% das empresas que negoceiam no S&P500 registaram lucros que superaram as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg.

 

Os títulos da Microsoft subiram 2,66% para 37,84 dólares, depois da Bloomberg ter noticiado na quinta-feira que a empresa deverá nomear o actual responsável pelas áreas de empresa e “cloud”, Satya Nadella, presidente executivo. E está a discutir a substituição de Bill Gates enquanto presidente do conselho de administração, avança a Bloomberg. 

 

Ver comentários
Saber mais Amazon Mattel Google Microsoft Wall Street Dow Jones
Outras Notícias