Há freguesias de Lisboa e Porto onde os preços das casas sobem mais de 30%

Marvila continua a ser a única das freguesias de Lisboa onde os preços das casas caem. No Porto, não se registaram descidas de preços.
Jorge Paula
Bloomberg
pub
Raquel Godinho 31 de julho de 2018 às 13:06

Em três freguesias de Lisboa e uma do Porto os preços das casas subiram mais de 30%, no primeiro trimestre deste ano, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). A tendência quase generalizada continua a ser de aumento dos valores de venda, com excepção de Marvila, onde os preços voltaram a desvalorizar.
Lisboa e Porto viram os preços de venda das casas aumentarem mais de 20%, entre Janeiro e Março, face ao mesmo período do ano passado. E, dentro destas cidades, algumas freguesias registaram crescimentos superiores a 30%. No Porto, na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, o valor mediano da venda subiu 45,2% para 1.636 euros por metro quadrado.

Foi a subida mais expressiva entre todas as freguesias de Lisboa e Porto. Já em Lisboa, a freguesia de Santo António viu os preços aumentarem 39,8% para 4.083 euros por metro quadrado. Já em Campolide os valores de venda cresceram 32,5% para 2.469 euros por metro quadrado e em Campo de Ourique subiram 30,4% para 2.965 euros por metro quadrado.


Na capital, a freguesia de Santo António é precisamente aquela onde os preços são mais elevados, seguindo-se Misericórdia (3.667 euros por metro quadrado) e Santa Maria Maior (3.528 euros por metro quadrado).


"No primeiro trimestre de 2018, três das 24 freguesias da cidade de Lisboa registaram preços medianos de venda de alojamentos superiores a 3.500 euros por metro quadrado: Santo António – que inclui a Avenida da Liberdade e áreas adjacentes –, Misericórdia (3.667 euros por metro quadrado) – que inclui a área do Bairro Alto e do Cais do Sodré – e, adicionalmente, face ao trimestre anterior, a freguesia de Santa Maria Maior (3.528 euros por metro quadrado) – que inclui a área do Castelo e Baixa/Chiado", refere o comunicado do INE.


Marvila, Beato, Santa Clara, Lumiar, Areeiro e Carnide foram as freguesias que, no primeiro trimestre, registaram preços medianos e taxas de variação face ao período homólogo inferiores aos da cidade de Lisboa (subiram 20,4% para 2.581 euros por metro quadrado). Marvila foi mesmo a única freguesia onde os preços caíram (-12,4% face ao período homologo), tendo registado também o preço mais baixo (1.483 euros por metro quadrado).
Quanto ao Porto, a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, destacou-se entre as sete freguesias da cidade por apresentar, ao mesmo tempo, um preço mediano de venda acima do valor da cidade (1.379 euros por metro quadrado) e uma taxa de variação face ao período homólogo superior à verificada na cidade (22,7%). Como já referido anteriormente, nesta freguesia do centro histórico da cidade, os preços aumentaram 45,2% para os 1.636 euros por metro quadrado.

pub


Já na freguesia de Paranhos o preço cresceu 24,3% para os 1.270 euros por metro quadrado, enquanto na União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e em Ramalde os preços cresceram 20,2% e 16,2% para 2.051 euros por metro quadrado e 1.249 euros por metro quadrado. "No período em análise, a freguesia da Campanhã registou o menor preço mediano de alojamentos vendidos (801 euros por metro quadrado ) e a menor variação homóloga (+0,9%), entre as freguesias da cidade do Porto", conclui o INE.

pub