Crédito Novo crédito para a compra de casa em máximos de junho de 2018

Novo crédito para a compra de casa em máximos de junho de 2018

O novo crédito para a compra de casa atingiu máximos de quase um ano, com os bancos a emprestarem mais de 900 milhões de euros em crédito para esta finalidade.
Novo crédito para a compra de casa em máximos de junho de 2018
Pedro Catarino
Patrícia Abreu 09 de julho de 2019 às 11:15

As novas operações de crédito à habitação aceleraram em maio, com os bancos a financiarem mais de 900 milhões de euros num mês para a compra de casa. O montante financiado é o mais elevados desde junho de 2018, o mês anterior à entrada em vigor das novas medidas do Banco de Portugal para a habitação.

Os bancos nacionais emprestaram 927 milhões de euros para a compra de casa em maio, segundo os dados divulgados pelo Banco de Portugal, esta terça-feira. Trata-se da primeira vez desde dezembro que o montante das novas operações supera a fasquia dos 900 milhões de euros e é o valor mais elevado em quase um ano.

O valor financiado em maio representa um crescimento de 15,3% face aos 804 milhões de euros emprestados em abril. Este crescimento surge depois de alguns meses marcados pelo abrandamento do ritmo de crescimento do novo crédito e mostra que os bancos mantêm uma forte aposta no financiamento para a compra de casa.

No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, as novas operações atingiram os 4.082 milhões de euros, o que representa um novo máximo desde 2010, período em que os bancos emprestaram 4.161 milhões de euros, entre janeiro e maio.

Os bancos nacionais têm vindo a reforçar a aposta no crédito à habitação, com este segmento de negócio a assumir-se como uma importante fonte de receitas, face ao ambiente de taxas de juro em mínimos. A maioria dos bancos já anunciou descidas de "spread" em 2019, apesar dos limites impostos pelo Banco de Portugal, em julho do ano passado.

O regulador anunciou, no ano passado, uma medida macroprudencial, que tinha como objetivo travar excessos na concessão de novos créditos. Os limites consistiam em contratos mais curtos, taxas de esforço mais restritivas e financiamento até 90% do valor do imóvel. Contudo, apesar destas medidas, os bancos continuam a acelerar a concessão de crédito.

O crédito ao consumo e para outras finalidades também registou uma evolução positiva. O crédito ao consumo superou os 435 milhões de euros, em maio, um valor que compara com os 363 milhões emprestados para esta finalidade um mês antes. Já os empréstimos para outras finalidades somaram 178 milhões, o que representa um crescimento de 12% face ao mês anterior.

Contas feitas, os bancos emprestaram 1.540 milhões de euros às famílias portuguesa, o que representa um aumento de 16% face ao montante financiado aos clientes particulares em abril.

Mais crédito para as empresas

O valor financiado às empresas também aumentou. As novas operações de crédito até um milhão de euros atingiu 1.655, um valor que superou em 187 milhões os 1.468 emprestados em abril. Já as grandes empresas captaram 1.006 milhões de euros junto da banca, o que representa um crescimento de 9,5% face às novas operações registadas um mês antes.

Em termos globais, os bancos financiaram as sociedades não financeiras em 2.661 milhões de euros durante o mês de maio.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI