Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Como o triunfo do Leicester pode servir de lição aos investidores

A equipa de Claudio Ranieri fez o improvável: venceu o campeonato inglês contra todas as probabilidades. Mas o que é que a conquista do título tem a ver com o mundo dos investimentos? Pode ser um bom exemplo para as estratégias dos investidores.

Rui Barroso ruibarroso@negocios.pt 03 de Maio de 2016 às 12:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

O Leicester venceu a liga inglesa pela primeira vez na sua história de 132 anos, apesar de no início da época as probabilidades atribuídas pelas casas de apostas para este desfecho serem menores que a de encontrar o monstro do Lago Ness. Para a Schroders, a reacção dos apostadores e também a filosofia de jogo do Leicester podem servir de lição aos investidores.

"Se pensa que as histórias mais importantes do ponto de vista do investimento até agora em 2016 são o Brexit, Donald Trump e a China, estará enganado. É o Leicester e a sua caminhada para o título da Premier League", defende Stuart Podmore, director da Schroders. Explica que a razão pela qual acredita que "a história do Leicester City está tão relacionada com os mercados e com o investimento tem a ver com a psicologia comportamental que revela".

O director da Schorders faz o paralelismo com a análise de comentadores de futebol que quando faltavam poucas jornadas para o campeonato terminar alertavam que se o Leicester jogasse para não perder em vez de ganhar poderia correr o risco de não conquistar o troféu, já que "enfrentaria o problema da aversão ao risco e da paralisação que isso poderia causar".

Stuart Podmore compara esse risco ao enfrentado pelos investidores. "É o equivalente à tentação dos gestores de activos em assegurar ganhos demasiado cedo e de se tornarem demasiado defensivos", refere. Essa tendência psicológica de aversão ao risco revelou-se também nos que no início da época apostaram na vitória do Leicester na Premier League. "Afectou os que retiraram as apostas iniciais de 5000 para 1 no início da época. Assegurar um ganho torna-se muito tentador", diz Podmore.

Segundo a imprensa inglesa, houve apostadores que após terem colocado, no início da época, apostas na vitória do Leicester retiraram-nas no decurso do campeonato. Um deles apostou 50 pences e logo após a primeira jornada retirou a aposta com uma perda de cinco pences. Se tivesse mantido a aposta teria ganho 2.500 libras, naquele que é agora considerado o pior "cash out" da história.

Para Podmore, a caminhada do Leicester para o título e as reacções dos apostadores são mais um exemplo de que "a aversão ao risco é uma das tendências comportamentais mais disseminadas, principalmente porque as pessoas têm sempre a tentação de preferir evitar perdas a conseguir ganhos". E, no mundo dos investimentos, é necessário saber se a venda é motivada pela convicção ou "pelo medo de perder um ganho", enquadrando essas decisões com os planos de investimento de longo prazo.

E se os investidores seguirem a filosofia do Leicester, permanecendo fiéis aos planos de longo prazo e ao sucesso táctico com uma baixa rotatividade as probabilidades de baterem a aversão às perdas e de vencerem aumenta. Pelo menos, para a equipa de Ranieri estes factores aparentam ter dado resultado.

Ver comentários
Saber mais Leicester Lago Ness Donald Trump China Premier League Stuart Podmore Leicester City desporto economia negócios e finanças futebol investimento Schroders
Outras Notícias