Mercados num minuto Fecho dos mercados: Europa em alta com vírus ofuscado por resultados. Petróleo sobe

Fecho dos mercados: Europa em alta com vírus ofuscado por resultados. Petróleo sobe

Os principais mercados europeus terminaram o dia de hoje a valorizar, com o foco dos investidores a mudar para a temporada de resultados, deixando os receios sobre o vírus para segundo plano.
Fecho dos mercados: Europa em alta com vírus ofuscado por resultados. Petróleo sobe
Bloomberg

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,31% para os 5.259,35 pontos

Stoxx 600 ganhou 0,44% para 419,41 pontos

S&P500 avança 0,32% para 3.286,62 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 2,9 pontos para 0,303%

Euro recua 0,19% para 1,1001 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,92% para 60,06 dólares o barril

 

Europa de olhos nos resultados empresariais

Os principais mercados europeus terminaram a sessão de hoje a negociar em alta, com o Stoxx 600, o índice que reúne as 600 maiores cotadas da Europa, a valorizar 0,44% para os 419,41 pontos.  

O foco dos investidores alterou-se. A temporada de resultados atirou as preocupações sobre o coronavírus para segundo plano, apesar de o presidente da China, Xi Jinping, ter dito que prevenir e conter o novo coronavírus continua a ser uma tarefa complexa.

Um economista do governo chinês disse que o surto pode reduzir o crescimento do primeiro trimestre da China em cerca de 5%, mas para já os investidores estão a ignorar esse facto.

No radar está a conferência da Reserva Federal dos Estados Unidos, marcada para as 19 horas de hoje, depois de uma reunião de dois dias. Não se esperam alterações no banco central, uma vez que desde o corte nas taxas em outubro, os decisores da Fed concordaram em manter as taxas de juro inalteradas.

Na Europa, os fortes resultados do Santander ajudaram as ações do setor na região.

Por cá, o índice PSI-20 terminou o dia a ganhar 0,31% para os 5.259,35 pontos, acumulando duas sessões de ganhos após na segunda-feira ter caído mais de 2% por causa dos receios com o coronavírus.

 

Juros de Itália afundam para mínimos de outubro

Os juros da dívida italiana a dez anos viveram mais uma sessão de fortes quedas, numa altura em que o cenário de nova crise política no país está, para já, afastado. Desde o início da semana que as yields estão a refletir a derrota da Liga nas eleições regionais de Emilia Romagna, que tranquilizaram o mercado em relação à solidez na atual coligação de governo.

 

Esta quarta-feira foi novo dia de forte alívio, com os juros a dez anos a recuarem 7,9 pontos para 0,949%.

 

Em, Portugal, as quedas foram menos pronunciadas, de 2,9 pontos para 0,303% e na Alemanha de 3,5 pontos para -0,380%.

 

Euro cai com dólar forte à espera da Fed
O euro perde fulgor face ao dólar e deprecia 0,19% para 1,1001 dólares, numa altura em que se aguarda a conferência de imprensa da Fed, que põe fim à reunião de dois dias. A moeda norte-americana está a beneficiar da expectável manutenção das taxas de juro nos níveis atuais. 

Petróleo recupera após grandes quedas

Depois de ter sofrido com o contágio do coronavírus com origem na China, pondo em causa a procura do país pela matéria-prima, o petróleo aproveitou a sessão de hoje para recuperar.

O Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, valorizou 0,92% para os 60,06 dólares por barril e o norte-americano WTI ganhou 0,04% para os 53,50 dólares por barril.

Estatuto de valor-refúgio reforça ganhos do ouro 

O metal amarelo segue em alta, a capitalizar o seu estatuto de valor-refúgio, devido sobretudo aos receios em torno do coronavírus na China, que faz com que os investidores procurem ativos mais seguros. As baixas taxas de juro, as tensões geopolíticas e possíveis fricções comerciais também são fatores que têm contribuído para a subida dos preços deste metal precioso.

 

O ouro para entrega imediata segue a somar 0,23%, a negociar nos 1.570,84 dólares por onça em Londres.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI