Obrigações TAP paga juro de 4,375% em emissão de obrigações para o retalho

TAP paga juro de 4,375% em emissão de obrigações para o retalho

A transportadora aérea nacional pretende emitir 50 milhões de euros em obrigações a quatro anos. A oferta para o retalho arranca a 3 de junho.
TAP paga juro de 4,375% em emissão de obrigações para o retalho
Nuno Carregueiro 30 de maio de 2019 às 10:35

A TAP vai avançar com uma oferta pública de subscrição (OPS) de obrigações destinada a investidores particulares, sendo que o prospeto da operação foi já aprovado pela CMVM.

 

Trata-se da primeira emissão do género realizada pela companhia aérea, sendo que as últimas emissões de obrigações para o retalho no mercado português tinham sido concretizadas por empresas cotadas: SAD de clubes e a Mota-Engil.  

 

Em novembro do ano passado a construtora emitiu 110 milhões de euros em títulos a quatro anos, tendo pago uma taxa de juro bruta de 4,5%. Esta OPS da Mota-Engil foi a primeira (sem ter em conta as SAD) depois de um longo interregno, sendo que quando o mercado de financiamento internacional se fechou para as empresas portuguesas, em 2011, foram várias as cotadas nacionais que realizaram OPS de obrigações para se financiar. Este ano o Benfica emitiu obrigações com uma maturidade de 3 anos e uma taxa de juro de 3,75%.

 

A TAP vai agora recorrer a esta operação para captar financiamento. O objetivo passa por encaixar 50 milhões de euros, sendo que a companhia poderá aumentar o valor da oferta até 14 de junho.

 

A taxa de juro bruta é de 4,375%, sendo que no prospeto a TAP calcula que a taxa de rendibilidade ilíquida de impostos é de 4,42232% (pressupõe a capitalização dos juros recebidos) e a taxa líquida de impostos é de 3,17453%.

 

Cada título a emitir tem um preço de mil euros e paga juros semestrais ao longo dos quatro anos da emissão. As datas de pagamento estão previstas para 24 de junho e 24 de dezembro de cada ano, "exceto o último pagamento de juros, que está previsto ocorrer na data de reembolso das Obrigações TAP 2019-2023, ou seja, em 23 de junho de 2023".

 

As obrigações TAP 2019-2023 podem ser subscritas entre os dias 3 e 18 de junho. Os títulos vão ser cotados na bolsa portuguesa, sendo que a TAP prevê que as obrigações sejam admitidas na Euronext a 24 de junho. Caso a procura supere a oferta, os trabalhadores da TAP e os clientes Miles&Go terão vantagem no rateio.

 

No prospeto, a TAP explica que o objetivo da oferta passa por "consolidar o passivo da TAP num prazo mais alargado, através do refinanciamento de dívidas que se vencerão num futuro próximo, bem como à obtenção de fundos para a TAP financiar a sua atividade corrente".

 

Se não aumentar o valor da oferta, a TAP estima encaixar 48,3 milhões de euros com a operação, sendo que a diferença para os 50 milhões de euros corresponde ao pagamento de comissões e outros custos relacionados com a operação.

 

O Haitong Bank é o banco organizador e coordenador global  da emissão. O ActivoBank, o Banco Best, o Banco L.J. Carregosa, o Banco Montepio, o Bankinter, o CaixaBI, a CCCAM, a CGD, o Haitong Bank, o Millennium bcp e o Novo Banco atuam como bancos colocadores.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI