Outros sites Cofina
Notícia

Agricultores mais digitais depois da pandemia

Segundo um inquérito da Mckinsey em 2019 apenas 13% dos agricultores europeus tinham feito uma compra online. Em maio de 2020, em plena pandemia de covid-19, houve uma radical mudança de atitudes e práticas dos agricultores europeus, com 69% a fazerem compras digitais.

Filipe S. Fernandes 11 de Março de 2021 às 13:30
Os agricultores são utilizadores tardios do comércio digital. DR
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
"Os agricultores europeus foram os primeiros a adotar as inovações em muitas áreas, como por exemplo a melhoria de rendimento, a sustentabilidade ou o bem-estar animal. Mas são utilizadores tardios no comércio digital, em que raramente acedem à internet para comprar matérias-primas, máquinas e tecnologia agrícola", concluía uma pesquisa da McKinsey de 2019 junto de mais de 1.000 agricultores em sete países - Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Holanda, Polónia e Espanha.

Nesse inquérito revela-se que apenas 13% dos agricultores europeus tinham feito uma compra online de sementes, fertilizantes, seguros de colheitas, alimentação animal ou aditivos para alimentação animal, equipamento agrícola, software ou outra tecnologia agrícola nos 12 meses anteriores, e eram céticos em relação ao online.

Um inquérito feito pela McKinsey em maio de 2020, em plena pandemia de covid-19, mostrou uma radical mudança de atitudes e práticas dos agricultores europeus. Mostrava um aumento de 36 pontos percentuais nos agricultores que manifestavam vontade na utilização de canais digitais para tomar decisões em relação a aquisições de produtos e serviços.

As areias nas engrenagens das compras online

"Resumindo: em 2019, apenas um terço de agricultores europeus entrevistados relatava disponibilidade para utilizar canais digitais para fazer compras; no mais recente estudo, apesar de uma amostra menor, 69% diziam que tinham feito compras no comércio online. Em toda a Europa, isso soma quase mais quatro milhões de agricultores que dizem que estão prontos para usar os canais online como as suas principais fontes de informação sobre produtos", refere o inquérito "Unlocking the online retail opportunity with European farmers" realizado pela McKinsey.

Segundo a consultora, ainda há areias nas engrenagens entre os agricultores e as compras online e referem que as empresas e as plataformas digitais precisam de oferecer uma melhor experiência. Os maiores pontos problemáticos estão na disponibilidade de 24 horas por dia, sete dias por semana; rapidez nas solicitações e consultas online; precisão, acessibilidade das informações que sejam precisas.