Os novos desafios da Ferreira da Silva

A empresa faz a distribuição de fruta para mercadoS como a Espanha, França, Polónia, Irlanda, Holanda, Itália. O futuro passa pela Índia, Costa Marfim, Singapura e Jordânia.
Os novos desafios da Ferreira da Silva
Vítor Fonseca é o responsável pelos negócios internacionais da Ferreira da Silva
David Cabral Santos
Filipe S. Fernandes 06 de junho de 2018 às 11:19
A pera-rocha é um dos principais produtos exportados pela empresa, a que se acrescenta a procura de fruta com qualidade, como a maçã. Por isso, a Ferreira da Silva começou a produzir fruta na Casa Agrícola da Gafa (Bombarral), com 40 hectares de maçã royal gala e 20 hectares de pera-rocha.

Mas o negócio principal da Ferreira da Silva é a distribuição de fruta em Portugal e na Europa, tendo facturado, em 2017, 38 milhões de euros. Importa banana, ananás, pera, maçã, para garantir um fornecimento constante e regular aos seus clientes, sem estar à mercê da sazonalidade de alguns produtos.

A empresa fez parcerias em países como a Costa Rica e a África do Sul, que garantem um stock permanente de frutas ao longo de todo o ano. No Brasil, "vendemos pera e maçã. Importamos maçãs, mangos e papaias", referiu Vítor Fonseca, sócio e responsável pelo sector internacional da Ferreira da Silva. A empresa foi fundada em 1988, mas foi adquirida pelos actuais sócios em 1993.

Embargo à Rússia

A empresa faz a distribuição de fruta na Europa para mercados como Espanha, França, Polónia, Irlanda, Holanda, Itália. Tinha uma presença comercial na Rússia com alguma relevância, mas, com o embargo da União Europeia, deixou de poder vender as frutas e legumes para o país liderado por Vladimir Putin.

A diversficação de mercados é um objectivo da empresa. Para Vítor Fonseca, "os principais desafios na produção e distribuição de fruta estão na entrada em novos mercados fora da União Europeia, como a Índia, a Costa Marfim, Singapura e a Jordânia".


Os números

200
Funcionários
número de funcionários

38
Milhões de euros
Volume de negócios (2017)

12.500 m2
Área
12.500 m2 de armazém e 500 m2 de escritório

5.000
Paletes
Capacidade de armazenamento


Tem uma frota de 20 camiões, mas a opção pela distribuição própria, "depende se temos transporte de regresso, é normal também aluguer transporte e serviço via container em muitos casos" explicou Vítor Fonseca.

A preocupação com a qualidade dos produtos comercializados e a menor aceitação do produto vendido a granel levaram a empresa a fazer investimentos na calibragem, selecção e embalagem de todos os produtos. Hoje conta com uma área de 12500 metros quadrados e cerca de 5 mil paletes de armazenamento. Tem a marca Doce Mel/ Honey Sweet.





Marketing Automation certified by E-GOI