Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Carlos Bastardo - Economista 19 de Julho de 2021 às 19:26

Portugal só converge em 2022, diz a União Europeia

Sendo a Espanha um dos principais destinos turísticos do mundo e tendo em conta as atuais restrições colocadas por alguns países (quarentena no regresso dos seus cidadãos), é curioso que a CE subiu o crescimento do PIB de Espanha, mas manteve o de Portugal.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Comissão Europeia (CE) divulgou no dia 7 de julho as suas previsões macroeconómicas de verão e as notícias são positivas para a Europa, uma vez que as estimativas de crescimento económico subiram face às anteriormente divulgadas na primavera.

Para Portugal, a CE manteve as estimativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), devido às medidas restritivas recentemente tomadas devido ao aumento do número de casos e devido à crise no setor do turismo.

Para a zona euro, o crescimento previsto do PIB é de 4,8% em 2021 e de 4,5% para 2022, quando na primavera era de 4,3% e 4,4% respetivamente. Em 2020, o PIB da zona euro caiu 6,5%.

Quanto à inflação, a estimativa da CE também aumentou: 1,9% em 2021 e 1,4% em 2022, contra 1,7% e 1,3% estimados na primavera.

Relativamente a Portugal, as previsões de crescimento do PIB para 2021 e 2022 são de 3,9% e 5,1% respetivamente, ou seja, exatamente iguais às previsões da primavera.

No que respeita à inflação, a CE prevê para o nosso país valores de 0,8% em 2021 e de 1,1% em 2022.

Perante estes números, a economia portuguesa vai continuar a divergir em 2021 face aos seus parceiros europeus, aumentando o fosso no nível de desenvolvimento e de geração de riqueza.

A CE também está menos otimista face às estimativas do Banco de Portugal e do governo.

Relativamente às quatro maiores economias da zona euro, a Alemanha viu as estimativas de crescimento do PIB crescerem em 2021 e 2022 de 3,4% para 3,6% e de 4,1% para 4,6% respetivamente; a França vai crescer 6% em 2021 e 4,2% em 2022 (antes, as previsões eram de 5,7% e 4,2%); a Itália vai crescer 5% e 4,2% em 2021 e 2022 (antes 4,2% e 4,4%) e a Espanha vai crescer 6,2% em 2021 e 6,3% em 2022 (antes, 5,9% e 6,8%).

Sendo a Espanha um dos principais destinos turísticos do mundo e tendo em conta as atuais restrições colocadas por alguns países (quarentena no regresso dos seus cidadãos), é curioso que a CE subiu o crescimento do PIB de Espanha, mas manteve o de Portugal.

De facto, a CE está cautelosa relativamente à evolução pandémica em Portugal e aos seus reflexos nas medidas recentemente tomadas pelo governo e que fizeram marcha-atrás no cenário de abertura da economia iniciado em abril/maio.

Esperemos que com a aceleração do processo de vacinação, possamos caminhar rapidamente para a normalidade e com isso, a economia voltar ao trilho certo.

Desejamos que as próximas previsões da CE (provavelmente no outono) sejam mais positivas para Portugal do que estas. Mas, tudo vai depender dos acontecimentos!

Nessa altura, já saberemos como decorreu o verão ao nível da evolução económica e do setor do turismo, atividade importante para Portugal, devido às receitas que produz e ao emprego que cria.

Também saberemos se o país já conseguiu a imunidade de grupo, condição essencial para que tudo volte ao normal (ou quase).

Tal, será fundamental para que os responsáveis deste país se concentrem no essencial que é a recuperação da economia, as reformas que estão por fazer e a melhoria do emprego (em quantidade e em qualidade) de forma que todos nós, sobretudo os jovens, tenham melhores perspetivas futuras.

É que a vida tem de seguir, apesar da covid!

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias