Raquel Godinho
Raquel Godinho 23 de abril de 2019 às 20:05

Vale a pena contrariar o otimismo generalizado?

Esta semana está a ser marcada pela publicação de contas do outro lado do Atlântico. Uma das empresas que vai revelar os resultados trimestrais é a Amazon. E a tecnológica é uma das companhias que reúne maior otimismo junto dos investidores.

Dos 45 bancos de investimento que acompanham a cotada, todos têm uma posição positiva, ou seja, têm uma recomendação equivalente a "comprar". Já o preço-alvo médio está cerca de 13% acima da cotação atual. Mas será este otimismo generalizado uma má notícia para os investidores? O MarketWatch reflete sobre isso. E lembra que há um adágio nos mercados que recomenda a ir na direção oposta, se todos apostam no mesmo sentido. Além disso, a mesma fonte analisou o desempenho das ações da Amazon após a publicação de contas: nos últimos 20 trimestres, a variação diária média do título na sessão posterior aos resultados foi de 6,7%; nos 11 dias em que ganhou, a subida média foi de 6,8% e nas nove sessões em que caiu, a queda média foi de 6,6%; nos últimos dois trimestres, a primeira reação aos números foi negativa. Contudo, os analistas discordam destes receios e lembram que o otimismo em torno das ações vem de longe, sendo que a empresa não tem recomendações negativas desde setembro de 2017.

 

Jornalista

pub

Marketing Automation certified by E-GOI