Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Maior parque eólico do mundo vai ser construído em alto-mar no Reino Unido

No mar que banha o Reino Unido será contruído o maior parque eólico do mundo, que produzirá energia suficiente para abastecer 5% da população britânica.

Reuters
Negócios jng@negocios.pt 26 de Novembro de 2020 às 15:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A SSE Plc, empresa multinacional de energia, e a ASA vão construir o maior parque eólico do mundo em alto-mar.

Depois de encerradas as negociações e assinados os contratos energéticos, a decisão está tomada. No Mar do Norte, que banha parte do Reino Unido, será construído o maior parque eólico do mundo, batizado de Dogger Bank.

O parque eólico, que será feito ao longo da costa leste inglesa, terá turbinas do tamanho de um arranha-céus e produzirá energia suficiente para abastecer 5% da população do Reino Unido, o equivalente a seis milhões de famílias.

Esta decisão surge poucos dias depois de a União Europeia ter anunciado um investimento de 940 mil milhões de dólares no mar, com o intuito de cumprir com as metas estipuladas para a diminuição da poluição marítima, e do plano de sustentabilidade do primeiro-ministro britânico Boris Johnson.

No Dogger Bank, que já empregou centenas de pessoas no Reino Unido, serão investidos 6 mil milhões de libras, só nas duas primeiras fases do projeto, segundo apurou a Bloomberg.

"Estamos a investir o nosso dinheiro e a reforçar a posição do Reino Unido como líder mundial", disse Alistair Philips-Davies, CEO da SSE, num comunicado a que a Bloomberg teve acesso.

O vento proveniente do mar-alto é uma mais valia para o plano de Johnson e leva a que o governo britânico acredite que até 2030 alcançarão os 40 gigawatts.

Orsted A/S, Royal Dutch Shell Plc e Danske Commodities A/S assinaram contratos de aquisição de energia para a concretização das duas primeiras fases do Dogger Bank, que serão desenvolvidas em simultâneo, segundo adiantou a Equinor. Quanto à terceira fase ainda pouco se sabe, contudo, espera-se que esteja concluída em março de 2026.

Saber mais Reino Unido Boris Johnson energia ambiente energias renováveis economia negócios e finanças
Outras Notícias