Conjuntura Fórum para a Competitividade antecipa travagem do PIB no terceiro trimestre

Fórum para a Competitividade antecipa travagem do PIB no terceiro trimestre

O Fórum para a Competitividade considera que os dados preliminares relativos ao terceiro trimestre apontam para uma desaceleração da economia.
Fórum para a Competitividade antecipa travagem do PIB no terceiro trimestre
Tiago Varzim 01 de outubro de 2019 às 15:47

A entidade liderada por Pedro Ferraz da Costa prevê que a economia portuguesa desacelere no terceiro trimestre deste ano, após ter crescido 2% durante o primeiro semestre, segundo a nota de conjuntura de setembro divulgada esta terça-feira, 1 de outubro.

"Em Portugal, os dados preliminares do terceiro trimestre apontam para uma desaceleração da economia, sobretudo pelo lado das contas externas, afetadas pelo cenário de generalizada desaceleração da economia europeia e mundial", escreve Pedro Braz Teixeira, diretor do Gabinete de Estudos do Fórum para a Competitividade.

A confirmar-se, esta seria uma continuação da travagem registada no primeiro semestre. Com as revisões em alta que o Instituto Nacional de Estatística (INE) fez na semana passada ao alterar a base das contas nacionais, a economia portuguesa passou de um crescimento de 1,8%, em termos homólogos, tanto no primeiro como no segundo trimestre para uma variação de 2,1% e 1,9%, respetivamente. 

Para o Fórum o problema estará nas contas externas. Na análise ao primeiro semestre, a nota de conjuntura assinala a deterioração do défice de bens e do excedente de serviços. "É preocupante que os serviços já não estejam a compensar a balança de bens", avisa Braz Teixeira.

E nem o Banco Central Europeu (BCE) deverá ajudar, na opinião do Fórum para a Competitividade: "É difícil que estes novos estímulos monetários possam ajudar muito a Zona Euro, no seu atual processo de abrandamento". Em causa está o corte da taxa de depósitos, a introdução do "tiering" e a nova ronda do programa de compra de ativos, três medidas anunciadas pelo BCE na última reunião. 

Tal como tem defendido o presidente do BCE, Mario Draghi, "o que poderá ter maior impacto são estímulos orçamentais, nos países com margem para tal", aponta Pedro Braz Teixeira, dando o exemplo da Holanda e da Alemanha. 

A última previsão do Fórum para o crescimento do PIB este ano situava-se no intervalo entre 1,3% e 1,6%, uma estimativa que não é alvo de revisão nesta nota de conjuntura. Após a mudança da base das contas nacionais por parte do INE, várias instituições passaram a prever mais crescimento económico este ano, encontrando-se previsões entre os 1,8% e os 2,1%. Em abril, a previsão do Governo era de 1,9%.

Produtividade e poupança melhores, mas insatisfatórios
Em relação às revisões do INE, o Fórum para a Competitividade elogia a melhoria da evolução da produtividade em Portugal, principalmente por coincidir com o aumento expressivo do investimento. Contudo, a organização diz que não é suficente.

"Os novos valores do crescimento da produtividade estão longe de ser satisfatórios. Entre 2016 e 2018, a produtividade cresceu 0,3%, -0,5% e 0,2%, revistos para, respectivamente, 0,4%, 0,2% e 0,1%, valores baixíssimos", considera o Fórum. 

Já a poupança, tal como o Negócios escreveu, viu a sua taxa ser revista em alta para os últimos anos. Contudo, a tendência de redução da poupança manteve-se. "Este desenvolvimento é particularmente infeliz porque se estimava que o abrandamento do consumo privado estaria relacionado com um aumento da poupança, o que não se veio a confirmar", lê-se na nota de conjuntura.

O Fórum para a Competitividade é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, tendo como associados várias empresas, associações empresariais e particulares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI