Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Leão diz que Portugal se prepara para "o período de maior crescimento do século"

O ministro das Finanças está confiante na recuperação da economia portuguesa. Apesar da subida do número de infeções por covid-19, e do aumento do confinamento em vários concelhos, repete que espera um crescimento acima da meta deste ano.

António Pedro Santos / Lusa
  • Assine já 1€/1 mês
  • 31
  • ...

O ministro das Finanças, João Leão, reafirmou esta terça-feira que o país deverá crescer este ano acima da meta de 4%. Depois da reunião do Ecofin, em Bruxelas, onde o Programa de Recuperação e Resiliência português foi validado pelos ministros das Finanças europeus, Leão sublinhou os sinais positivos que vê na atividade económica e as boas expectativas para 2022. "Vai ser o período de maior crescimento do século", frisou.

"Estamos convencidos de que podemos crescer acima dos 4%", reafirmou o ministro, validando uma expectativa que tinha sido deixada já há algumas semanas, mesmo depois de os contágios de covid-19 terem voltado a subir e de terem sido reintroduzidas algumas medidas de confinamento.

"Prevemos que no próximo ano Portugal cresça mais do que a União Europeia", acrescentou, notando que nos dois anos o crescimento económico deverá atingir 9%, fixando-se como "o maior crescimento deste século, dos últimos 20 anos".

Numa análise sobre os indicadores económicos deste ano, o ministro das Finanças defendeu que "o mercado interno tem resistido muito bem" e notou que "o consumo das famílias está a evoluir muito positivamente, estando já superior ao valor pré-pandemia". Quanto ao investimento, em especial da construção, os sinais também são positivos, "com o consumo de cimento a aumentar 20% face aos níveis pré-pandemia, a 2019". Também as exportações de bens estão a crescer, lembrou.

Já o turismo é "a parte que tem a recuperação mais lenta", admitiu o governante, sublinhando que, ainda assim, se está a verificar uma recuperação "gradual".

Primeira avaliação do PRR no final do ano

João Leão disse ainda que o primeiro momento de monitorização do PRR português está previsto para este ano e admitiu que o primeiro desembolso na sequência de uma avaliação possa chegar "no final deste ano ou no início do próximo". Este calendário vai ao encontro do que está previsto para a generalidade dos Estados-membros.

Entretanto, o país prepara-se para receber a sua fatia de pré-financiamento do Programa, no valor de cerca de dois mil milhões de euros. O PRR português já tinha recebido luz verde da Comissão Europeia e foi hoje formalmente aprovado pelo Ecofin, juntamente com os outros 11 programas que já tinham sido aprovados por Bruxelas.

Ver comentários
Saber mais Economia crescimento PIB João Leão Zona Euro pandemia Ecofin Ministro das Finanças
Outras Notícias