Conjuntura Três concelhos concentram um quinto das exportações portuguesas

Três concelhos concentram um quinto das exportações portuguesas

Em 2016, um quinto das exportações portuguesas tinham origem em apenas três concelhos, enquanto o concelho de Lisboa representava sozinho um quarto das importações.
Três concelhos concentram um quinto das exportações portuguesas
Bruno Simão
Pedro Curvelo 18 de abril de 2018 às 11:26

As exportações portuguesas ascenderam a 47,8 mil milhões de euros em 2016, sendo que três municípios foram responsáveis por 20% deste valor, refere o Sales Index, da Marktest. As importações atingiram um valor de 56 mil milhões de euros, tendo o concelho de Lisboa absorvido 25,6% do total.

Lisboa foi o concelho do país com maior volume de exportações (11,8% do total), seguindo-se Palmela (4,6%), que beneficia do "efeito Autoeuropa", e Vila Nova de Famalicão (4,1%). Destacam-se ainda os concelhos da Maia (3%) e Vila Velha de Ródão (2,9%), este último devido ao forte peso das indústrias de celulose e pasta de papel.

No que toca às importações, Lisboa é de longe o município com maior peso, valendo um quarto do total. Seguem-se Oeiras (11,1%), Sintra (4,7%), Palmela (3%) e Porto (2,8%). Estes cinco concelhos representam quase metade (47,2%) do total.

O défice comercial português situou-se nos 8,3 mil milhões de euros em 2016.

Vila Velha de Ródão destaca-se como o concelho com maior excedente comercial, acima dos 1,3 mil milhões de euros, impulsionado pelas exportações de celulose e pasta de papel.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

A Lisboa basta lá ter as sedes das empresas que já pensam que produzem muito..
Exemplo: A EDP tem a barragens espalhadas pelo país e Lisboa é que factura..
..e ainda recebe a Derrama como se produzisse alguma coisa..

pub