Jornal Negócios

Presença em casamentos e batizados vai obrigar à realização de teste covid
O acesso a eventos familiares, como batizados e casamentos, bem como a eventos culturais ou desportivos, vai passar a obrigar à realização de testes covid, a partir de um certo número de pessoas presentes, que vai ainda ser determinado pelo Direção-Geral de Saúde.
António Cotrim / Lusa
Filomena Lança 09 de Junho de 2021 às 15:04

A presença em eventos familiares, como casamentos ou batizados, vai obrigar à realização prévia de testes covid a partir de um número de pessoas presentes que vai ainda ser determinado pela Direção-Geral de Saúde. O mesmo acontecerá para a entrada em eventos culturais ou desportivos, cuja listagem vai também ser feita pela DGS. 


O anúncio foi feito esta quarta-feira pela ministra da Presidência na conferência de imprensa que se seguiu à reunião semanal do Conselho de Ministros. Mariana Vieira da Silva explicou também que passa a haver situações em que as empresas com mais de 150 trabalhadores no mesmo local serão obrigadas a testar os seus funcionários. Isso acontecerá em locais e condições também ainda a definir pelas autoridades de saúde. 


"Temos à nossa disposição uma grande disponibilidade de testagem. Aquilo que é a evolução desejável é que sempre que se verifiquem ajuntamentos de uma dimensão significativa, sejamos todos testados à entrada", explicou a ministra, recusando que a medida possa ser intrusiva do ponto de vista da vida privada. 


"Temos hoje múltiplas metodologias de teste e muitas se aplicam a esta ideia de que cada um de nós se deve testar quando está em grupos maiores, para evitar o contágio. Porque essa é a melhor garantia que temos que daquele ajuntamento não saia um novo surto", sublinhou. 

No caso das empresas em que possa vir a ser obrigatória a testagem, o custo dos testes será de responsabilidade da empresa e vai decorrer de uma determinação da autoridade de saúde, que vai identificar os territórios onde a testagem deverá ocorrer, explicou Mariana Vieira da Silva. 

 

Quando a presença em eventos culturais ou desportivos obrigar à testagem prévia, "os testes são a custo de quem organiza o evento". Nos eventos familiares, é o participante que deverá assegurar o seu teste. 

 

"O objetivo aqui é que exista uma testagem regular. Todos nós devemos ter essa cautela e esse cuidado, que permite reduzir e controlar a pandemia", rematou a ministra, explicando que o que está previsto em que ninguém possa aceder sem teste e a fiscalização será feita através das autoridades que em cada um dos casos são responsáveis pela organização, mas "o apelo é que estes testes sejam vistos como uma forma de auto-proteção".




Pub
Aqui vai ficar a recomendação
Pub