Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sanofi compra a farmacêutica Principia Biopharma por 3,4 mil milhões

A farmacêutica francesa adquiriu a congénere norte-americana por 3,4 mil milhões de dólares, naquele que foi o segundo maior negócio do ano dentro do setor.

DR
Negócios jng@negocios.pt 17 de Agosto de 2020 às 12:16
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A farmacêutica francesa Sanofi chegou a acordo para a compra da norte-americana Principia Biopharma por 3,4 mil milhões de dólares, numa altura em que a cotada liderada por Paul Hudson tenta especializar-se em tipos de tratamentos inovadores para estimular o crescimento. 

Esta operação, aprovada pelos conselhos de administração de ambas as empresas, vai permitir à Sanofi adquirir todas as ações da empresa rival por 100 dólares cada, o que representa um prémio de 10% face ao preço atual, de acordo com o comunicado divulgado hoje pela farmacêutica francesa.

Este negócio é a segunda maior aquisição no setor farmacêutico este ano, depois de a Gilead Sciences ter comprado a Forty Seven por 4,9 mil milhões de dólares. O negócio vai permitir à Sanofi ter um braço especializado em tratamentos para a esclerose múltipla e uma grande panóplia de doenças autoimunes, áreas "core" da Principia.

As ações da empresa norte-americana valorizaram cerca de 60% só este ano. As da Sanofi, também com um ano positivo, abriram a sessão de hoje em Paris com um ganho de 0,5%.

Paul
 Hudson, o CEO da Sanofi, está a tentar rejuvenescer a empresa sediada em Paris, concentrando-se em áreas ainda por explorar, onde os novos medicamentos têm preços ainda elevados. A operação segue outras idênticas, como a compra da Synthorx por 2,5 mil milhões de dólares, em dezembro.

No final do ano passado, Hudson anunciou uma nova estratégia para a empresa, dizendo que encerraria a sua pesquisa por novos medicamentos para diabetes e doenças cardíacas, para se concentrar em áreas que estão prontas para a inovação, como o cancro. 
Ver comentários
Saber mais Sanofi Principia Biopharma Paul Hudson Principia Paris Hudson economia negócios e finanças indústria e produtos químicos
Outras Notícias