Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

União Europeia aprova vacina Pfizer para crianças a partir dos cinco anos

A dose administrada será inferior à dos grupos mais velhos, contudo a administração será igual: duas doses, com um intervalo de três semanas.

Reuters
Marta Velho martavelho@negocios.pt 25 de Novembro de 2021 às 12:11
  • Partilhar artigo
  • 6
  • ...
A Agência Europeia do Medicamento deu luz verde à vacina Pfizer, contra a covid-19, para crianças a partir dos cinco anos. Bruxelas segue assim a mesma linha que o regulador norte-americano, que já tinha dado o seu selo de aprovação no final do mês passado.

Em crianças dos 5 aos 11 anos de idade, a dose de Comirnaty será inferior à utilizada em pessoas com 12 ou mais anos de idade, indica o organismo. A administração será igual à dos grupos mais velhos, com duas injecções nos músculos da parte superior do braço, com um intervalo de três semanas.

No estudo efetuado junto de crianças nesta faixa etária, a eficácia da vacina foi de 90,7% na prevenção de sintomas. 

"Os efeitos secundários mais frequentes são semelhantes aos das pessoas com 12 anos ou mais. Incluem dor no local da injeção, cansaço, dor de cabeça, vermelhidão e inchaço no local da injeção, dores musculares e calafrios. Esses efeitos são geralmente leves ou moderados e melhoram alguns dias após a vacinação", explica a agência europeia.

Por cá, a segurança das vacinas nestas idades já tinha sido considerada segura pela Sociedade Portuguesa de Pediatria que, ainda assim, recordou que a covid-19 "é habitualmente uma doença assintomática ou ligeira" e que "continuam a ser raros os casos graves que obrigam a internamento ou admissão em unidades de cuidados intensivos".

Depois da aprovação pelo regulador europeu, espera-se a integração desta faixa etária no plano nacional de vacinação contra a covid-19. Ontem, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, tinha afirmado que ficaria "muito satisfeita" se pudesse recomendar a vacinação contra a covid-19 a partir dos 5 anos e que faltava apenas a luz verde de Bruxelas.




Notícia atualizada
Ver comentários
Saber mais União Europeia Pfizer Agência Europeia do Medicamento
Outras Notícias