Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Estas são as 20 economias que mais vão crescer este ano

Os países asiáticos ganham aos africanos e não há qualquer economia europeia no lote das 20 que mais vão crescer este ano. Mas há um estado-membro da CPLP. Saiba quais são os países onde o PIB mais vai crescer em 2016.  

  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

No World Economic Outlook (WEO) que divulgou esta semana, o Fundo Monetário Internacional (FMI) avança com estimativas para o crescimento do PIB de 190 economias.

Sendo o FMI a entidade que faz estimativas para mais economias, esta é sempre uma boa oportunidade para avaliar as que mais vão crescer. Na fotogaleria estão listadas as 20 economias que as estimativas da entidade sedeada em Washington colocam a crescer de forma mais célere.


Entre elas destacam-se, como habitual, os países africanos e asiáticos, com uma ligeira vantagem para o maior continente. No Top 20 surgem nove países asiáticos e oito africanos, sendo que num deles se fala português.

Entre os restantes três países, dois são da América Latina (um deles muito falado nos últimos dias pelos piores motivos) e outro é do Médio Oriente.


Não há assim qualquer economia europeia no Top 20, com a primeira a surgir no 31º lugar (o FMI estima que a Irlanda cresça 5% este ano).


A fotogaleria contém apenas as 20 economias que mais vão crescer este ano, mas é também de assinalar as que surgem no pólo oposto, ou seja, que mais vão contrair em 2016.


As estimativas do FMI apontam para um total de 17 países com o PIB a cair este ano. A Venezuela lidera (-8%) a lista onde surgem mais países da América Latina (Brasil recua 3,8%), mas também de África (Sudão do Sul recua 7,8%) e Ásia (Macau contrai 7,1%). A Grécia (PIB recua 0,6%) é o único representante europeu.


Nota ainda para o facto de Portugal surgir na 152.ª posição neste ranking de 190 países. O FMI estima que o PIB cresça 1,3% este ano.

No mapa em baixo pode ver as previsões do FMI para as principais economias mundiais.




Ver comentários
Saber mais World Economic Outlook Fundo Monetário Internacional FMI
Outras Notícias