Bruxelas admite acabar com as tarifas nos automóveis entre UE e EUA

"Estamos disponíveis para tarifas zero até nos automóveis … se os EUA fizerem o mesmo. Seria bom para nós e para eles", afirmou Cecilia Malmström
Jornal de Negócios
pub
Nuno Carregueiro 30 de agosto de 2018 às 14:54

A Europa está disponível para acabar as tarifas impostas aos automóveis importados dos Estados Unidos, caso Donald Trump aceite fazer o mesmo aos carros europeus que são vendidos na maior economia do mundo.

"Estamos prontos para avançar para tarifas zero em todos os bens industriais, obviamente se os Estados Unidos fizerem o mesmo, pelo que seria numa base reciproca", disse a comissária europeia para o Comércio.

 

"Estamos disponíveis para tarifas zero até nos automóveis … se os EUA fizerem o mesmo. Seria bom para nós e para eles", afirmou Cecilia Malmström no Parlamento Europeu, citada pelo Politico.

Aos carros norte-americanos a Europa impõe actualmente uma tarifa de 10%, bem superior aos 2,5% impostos aos automóveis europeus vendidos do lado de lá do Atlântico. Contudo, os Estados Unidos têm uma tarifa especial de 25% aos camiões e "pick ups".

pub

As declarações de Malmström vão além do que foi inicialmente acordado entre Juncker e Donald Trump. A declaração emitida após o encontro da Casa Branca em Julho visava negociações entre as duas partes para eliminar tarifas aos bens industriais, mas excluindo o sector automóvel.

Apesar deste compromisso alcançado no mês passado, ainda na semana passada o presidente dos Estados Unidos ameaçou elevar as tarifas aos automóveis europeus para 25%. De acordo com o Politico, numa reunião que decorreu na semana passada em Washington, os Estados Unidos recusaram uma proposta europeia para incluir os automóveis nas negociações. 

Cecilia Malmström disse esta quinta-feira numa comissão do Parlamento Europeu que os bens agrícolas estão fora destas negociações e que estas não visam restaurar as negociações do Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP, na sigla em inglês), mas antes um acordo comercial mais limitado.

O secretário do Comércio dos EUA, Wilbur Ross, adiou na semana passada o prazo limite para a publicação de um relatório sobre as tarifas automóveis. Estes relatórios representam o primeiro passo para a introdução de tarifas por parte dos EUA, mas Wilbur Ross explicou que a sua apresentação está suspensa até que fiquem concluídas as negociações com a Comissão Europeia, o México e o Canadá.

pub

O acordo comercial como México está já fechado e decorrem agora negociações com o Canadá, que poderão ficar fechadas esta sexta-feira.
Com o objectivo de atenuar a tensão comercial entre os Estados Unidos e a União Europeia, a chanceler alemã afirmou no início de Julho ser favorável a conversações com vista à redução das taxas alfandegárias aplicadas à importação de automóveis fabricados nos EUA.

pub