Europa Economia alemã contrai pela primeira vez em três anos

Economia alemã contrai pela primeira vez em três anos

O PIB alemão contraiu, em cadeia, no terceiro trimestre deste ano. Esta é a primeira queda da economia alemã desde 2015.
Economia alemã contrai pela primeira vez em três anos
Tiago Varzim 14 de novembro de 2018 às 07:58
A indústria automóvel meteu o pé no travão durante o terceiro trimestre e os efeitos na economia alemã foram imediatos. O PIB da Alemanha contraiu pela primeira vez desde o primeiro trimestre de 2015, segundo a estimativa do gabinete de estatística alemão divulgada esta quarta-feira, 14 de Novembro.

É mais um sinal de que a economia europeia está a desacelerar e chega no dia em que o Eurostat divulga a segunda estimativa do PIB.

A maior das economias da Zona Euro (representa cerca de um terço) contraiu 0,2%, em cadeia, ou seja, do segundo trimestre para o terceiro. Em termos homólogos, o PIB cresceu 1,1%, o que compara com os 2% registados no trimestre anterior. 
Os números divulgados são piores do que a estimativa dos economistas consultados pela Bloomberg que esperavam uma ligeira contracção de 0,1%. Isto depois de no segundo trimestre o crescimento em cadeia ter sido de 0,5%, em linha com os crescimentos dos trimestres anteriores.

O gabinete de estatística não dá mais detalhes sobre o rumo da economia, mas a Bloomberg escreve que terão sido os novos testes de emissão de gases que travaram a produção de automóveis - um impacto que deverá ser temporário.

Além disso, houve uma queda do comércio internacional, com as exportações a contraírem ao passo que as importações mantiveram o crescimento. Na nota sobre estes números, o Commerzbank liga essa retracção das trocas comerciais à menor procura por parte da China numa altura em que se intensificou a guerra comercial com os Estados Unidos. O banco alemão reviu em baixa o crescimento de 2018 de 1,8% para 1,5%. 

Nas restantes componentes do PIB, o consumo privado ressentiu-se, mas houve boas notícias do lado do investimento em equipamento e construção.

De acordo com a primeira estimativa do Eurostat, a Zona Euro cresceu no terceiro trimestre ao ritmo mais lento dos últimos quatro anos. O PIB aumentou 1,7%, o que representa uma travagem face ao primeiro semestre em que a economia europeia cresceu 2,3%. Hoje será divulgada a segunda estimativa. 

(Notícia actualizada às 8h32 com a nota do Commerzbank)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI