União Europeia Quarta baixa no Governo de May: ministra do Trabalho e das Pensões demite-se

Quarta baixa no Governo de May: ministra do Trabalho e das Pensões demite-se

Esther McVey justificou a sua decisão com o acordo alcançado entre Bruxelas e o Reino Unido para o Brexit que, na sua opinião, não honra o resultado do referendo de Junho de 2016.
Quarta baixa no Governo de May: ministra do Trabalho e das Pensões demite-se
EPA
Rita Faria 15 de novembro de 2018 às 10:19

É a quarta baixa no Governo de Theresa May, só esta quinta-feira. Depois de Shailesh Vara, secretário de Estado responsável pelos temas da Irlanda do Norte, Dominic Raab, ministro para o Brexit, e Suella Braverman, secretária de Estado para o Brexit, foi a vez de a ministra do Trabalho e das Pensões, Esther McVey, apresentar a sua demissão do cargo.

 

Numa carta dirigida à primeira-ministra, Esther McVey, justificou a sua decisão com o acordo alcançado entre Bruxelas e o Reino Unido para o Brexit que, na sua opinião, não honra o resultado do referendo de Junho de 2016.

 

"O acordo que apresentou ao Governo não honra o resultado do referendo", escreveu a ministra na carta, dirigindo-se à líder do Governo britânico.

 

A carta foi publicada pela ministra do Trabalho e das Pensões na sua conta do Twitter:

 

As demissões evidenciam as dificuldades que Theresa May terá de enfrentar nos próximos meses, existindo dúvidas sobre a capacidade de aprovar este acordo no Parlamento. Esta quinta-feira a primeira-ministra irá debater o conteúdo do acordo de 585 páginas com os deputados britânicos.

Em Bruxelas, já se prepara a assinatura do acordo. Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, anunciou esta manhã que no dia 25 de Novembro será assinado o acordo técnico de saída do Reino Unido da União Europeia. Isto se "nada de extraordinário acontecer até lá", alertou. 

Ontem, a primeira-ministra, Theresa May, anunciou que o Governo britânico decidiu apoiar o acordo técnico alcançado com Bruxelas com vista ao enquadramento da relação futura entre os dois blocos. Michel Barnier, negociador europeu do Brexit, classificou este passo de decisivo, mas ressalvou que ainda há trabalho por fazer. 




Saber mais e Alertas
pub