Mundo Um morto na operação antiterrorista em Bruxelas

Um morto na operação antiterrorista em Bruxelas

Uma pessoa morreu na operação antiterrorista a decorrer em Forest, Bruxelas, informou o porta-voz da procuradoria federal, que garantiu não se tratar de Salah Abdeslam, suspeito de envolvimento nos atentados de Novembro em Paris.
Um morto na operação antiterrorista em Bruxelas
Bloomberg
Lusa 15 de março de 2016 às 18:58

"Foi encontrado um corpo durante as buscas a uma casa da rua do Dries. A sua identidade ainda não é conhecida, mas não se trata de Abdeslam Salah", afirmou Eric Van Der Sypt, citado pela agência noticiosa belga. Anteriormente, as informações davam conta de um suspeito envolvido no tiroteio na comuna que tinha sido "neutralizado".

 

Vários meios de comunicação informaram que a operação policial deverá ter terminado, desconhecendo-se quantos suspeitos poderão estar ainda em fuga.

 

Quatro polícias ficaram feridos, indicou a procuradoria federal, que precisou que três agentes foram feridos na rusga que ocorreu pelas 15:00 horas locais, a um apartamento em Forest, e um quarto foi atingido já durante a grande operação entretanto montada.

 

A rusga estava relacionada com alegados cúmplices de um ou mais dos 11 acusados na Bélgica, presumivelmente em busca de documentos, no quadro das investigações aos atentados terroristas de Paris em Novembro passado.

 

Não foram divulgadas informações sobre o estado de saúde dos polícias, tendo o Ministério do Interior belga indicado apenas que todos eles são belgas, apesar de também haver polícias franceses no local.

 

Depois de o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, ter confirmado, durante uma conferência de imprensa em Abidjan, que polícias franceses participavam na rusga de hoje em Bruxelas durante a qual as forças de ordem foram surpreendidas com tiros de armas pesadas, fontes policiais francesas indicaram à agência France Presse que Salah Abdeslam, o homem mais procurado por envolvimento nos ataques de Paris, não era o alvo da operação.

 

"A operação não visava Salah Abdeslam, mas sim próximos de um ou mais dos 11 arguidos" na Bélgica, oito dos quais encontram-se em prisão preventiva, referiu a mesma fonte.

 

A procuradoria federal belga ainda não emitiu qualquer comunicado sobre a operação, dado esta estar ainda em curso - as autoridades solicitaram mesmo que não sejam difundidas imagens em tempo real, o que os canais televisivos belgas estão a respeitar, repetindo imagens gravadas -, mas um porta-voz adiantou que, ao chegarem a um apartamento presumivelmente abandonado, na Rue de Dries, na comuna de Forest, durante uma busca relacionada com os ataques de Paris, os polícias foram imediatamente alvo de tiros de armas pesadas, através da porta.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI