Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCE: Europa desperdiça juros baixos sem implementação de reformas

O banco central está apostado em manter os estímulos na Zona Euro até que a inflação recupere. Mas critica os governos por não estarem a cumprir o seu papel com as reformas estruturais. E alerta que a inflação já não depende do petróleo.

Bloomberg
André Tanque Jesus andrejesus@negocios.pt 19 de Maio de 2016 às 13:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

Não é a primeira, nem a segunda, nem tão pouco a terceira vez que o Banco Central Europeu apela a mais reformas estruturais pelos países da união monetária. Mas nos relatos divulgados esta quinta-feira, 19 de Maio, a instituição liderada por Mario Draghi (na foto) voltou a fazê-lo, num ataque à inércia dos países do espaço europeu. Até porque, actualmente, a Zona Euro beneficia de um ambiente acomodatício como nunca antes visto.

"Os membros [do Conselho do BCE] reiteraram fortemente a necessidade de outras áreas políticas contribuírem muito mais decisivamente, tanto ao nível nacional como ao nível europeu, de modo a colher todos os benefícios das medidas de política monetária do BCE", revelam os relatos da reunião de 20 e 21 de Abril. Naquele que é um novo episódio dos apelos a mais esforços orçamentais pelos governos, a instituição monetária sacode as culpas da inflação decadente.

O documento divulgado esta quinta-feira explica que o banco central avaliou o impacto das reformas estruturais na inflação, que em Abril voltou a "terreno" negativo (-0,2%), distanciando-se do objectivo de 2%. A conclusão? "Possivelmente surgem efeitos deflacionários da implementação demasiado lenta de reformas estruturais", explicam os responsáveis. E acrescentam que as reformas "apoiariam a convergência entre os países da Zona Euro e melhorariam a partilha de risco dos mercados".

"Neste contexto, foi reconhecido que continuam a existir enormes deficiências ao nível europeu", atira a instituição liderada por Mario Draghi. Mais ainda quando em causa está "um ambiente no qual o BCE leva a cabo a sua política monetária" expansionista. E reforça: "a implementação rápida e eficaz de reformas estruturais, num ambiente de política monetária acomodatícia, não levará apenas a um maior crescimento económico sustentável na Zona Euro, mas tornará também a Zona Euro mais resiliente a choques globais".

Vários avisos num só documento, com o BCE a alertar que já nem o petróleo está a influenciar a evolução dos preços na região. "Parece que tem havido alguma dissociação das expectativas para a inflação face aos desenvolvimentos no preço do petróleo", referem os responsáveis da instituição monetária. E concluem que, apesar de esta dissociação ser, em princípio, "bem-vinda, no actual contexto este é um factor de preocupação".

Ver comentários
Saber mais relatos BCE reformas estruturais Governo compras de activos inflação Zona Euro Europa política monetária economia
Outras Notícias