Política Monetária Trump volta à carga e diz que Fed é a sua “maior ameaça”

Trump volta à carga e diz que Fed é a sua “maior ameaça”

O presidente dos Estados Unidos voltou a apontar armas à Reserva Federal que, na sua opinião, está a subir os juros "demasiado rápido". Está a cometer "um erro", e constitui, neste momento, a sua "maior ameaça", diz.
Trump volta à carga e diz que Fed é a sua “maior ameaça”
Reuters
Rita Faria 17 de outubro de 2018 às 08:01

O presidente norte-americano, Donald Trump, voltou à carga esta terça-feira, insistindo nas críticas à Reserva Federal dos Estados Unidos, que diz ser a sua "maior ameaça".

Numa entrevista à Fox Business, o líder da Casa Branca reiterou que a autoridade monetária está a subir os juros demasiado rápido, uma evolução que, na sua perspectiva, não faz sentido tendo em conta o crescimento brando da inflação.

"A Fed está a subir os juros demasiado rápido. E é independente, por isso não falo com ele", afirmou Trump referindo-se ao presidente da Fed, Jerome Powell, que lidera o banco central desde Fevereiro deste ano. "Mas não estou contente com aquilo que está a fazer, porque está a ir muito rápido. Se olharmos para os últimos números da inflação, eles são muito baixos".

Donald Trump sublinhou que a acção da Fed constitui a sua "maior ameaça" e que está a "cometer um erro" na condução da política monetária.

"Não estou a culpar ninguém. Eu pu-lo lá", acrescentou Trump referindo-se a Powell. "E talvez esteja certo, talvez esteja errado, mas eu pu-lo lá".

Ainda que o líder da Casa Branca tenha criticado por várias vezes o líder da Reserva Federal, Trump também já garantiu que não vai demitir Jerome Powell. Só está "decepcionado" com ele, como avançou numa entrevista a 11 de Outubro.  

Donald Trump voltou assim a apontar baterias à Reserva Federal e ao seu presidente, depois de, na semana passada, ter feito uma série de declarações públicas a criticar a actuação do banco central dos Estados Unidos.

Na passada quarta-feira, depois do maior sell-off nas acções americanas desde Fevereiro, Trump disse que a culpa daquele movimento nos mercados não é a guerra comercial com a China, mas sim a subida dos juros pela Fed que, a seu ver, "ficou louca".

"A Fed está a cometer um erro. Eles são tão tacanhos. Penso que a Fed ficou louca", declarou Trump, aos jornalistas na Pensilvânia, referindo-se à subida gradual dos juros por parte da autoridade monetária que, este ano, já decretou três aumentos.

 

No dia antes, o presidente dos EUA já havia dito que não gostava de juros altos e que a Fed devia ir mais devagar.

"Não gosto", disse o presidente dos EUA em declarações proferidas na Casa Branca. "Penso que não temos de ir tão rápido", apontou, citado pela Bloomberg.

 

"Gosto de taxas de juro baixas", assinalou Trump, destacando que a inflação está controlada, pelo que não percebe por que razão "é necessário ir tão rápido na subida das taxas de juro".

 

Em Setembro, depois de o banco central dos EUA ter decidido mais uma vez aumentar os juros, Trump disse estar preocupado com o facto de parecer "que eles gostam de subir os juros", e a verdade é que "podíamos estar a fazer outras coisas com o dinheiro".

 

Depois de ter já decretado três aumentos dos juros em 2018, para o actual intervalo entre 2% e 2,25%, o mercado acredita que a Fed possa anunciar uma quarta subida até ao final do ano em curso, convicção reforçada pelos dados económicos que confirmam melhorias ao nível do mercado laboral e da inflação. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI